Sim, é verdade. O stress engorda mesmo

Está a tentar emagrecer, tem tido cuidado com a alimentação, faz mais exercício e, no entanto, quando sobe para a balança o número parece aumentar? Não, não está enganado, este é um cenário possível. Trabalha muitas horas, leva os problemas para casa, não consegue dormir? Então, o stress está a tomar conta da sua vida e a afetar a sua saúde - e do seu peso.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia de Shutterstock

O ritmo em que vivemos atualmente, sempre a correr contra o relógio e a acumular responsabilidades e compromissos, em muito tem contribuído para o aumento do stress crónico, ou seja, aquele que já nos acompanha diariamente, seja por questões familiares ou profissionais. Vivermos uma vida mais stressante e sem descanso tem consequências negativas no nosso corpo. E o aumento de peso pode ser uma delas.

O stress é um reação fisiológica de defesa perante situações de perigo. Quando o nosso organismo sente que estamos ameaçados de alguma forma, liberta adrenalina e cortisol (a «hormona do stress»). Este processo, por sua vez, desequilibra as hormonas, desacelerando o metabolismo e reduzindo a capacidade do corpo para queimar calorias, gorduras e açúcar.

Outro fator para o aumento do peso é a famosa questão de comermos mais – e comidas mais calóricas – quando estamos stressados.

Um estudo levado a cabo pela University College, em Londres, concluiu que quem sofria de stress crónico tinha mais peso e o Índice de Massa Corporal (IMC) mais elevado. Foram avaliados os níveis de cortisol em mais de dois mil adultos. O resultado mostrava que quem tinha mais peso e mais centímetros de barriga, tinha níveis mais elevados da «hormona do stress».

Outro estudo da Universidade de Brigham Young, no Utah, publicado na revista Nature e citado pelo El Pais, diz que o impacto do stress no intestino grosso é equivalente ao da comida. O teste (realizado em ratos) mostrou que a flora intestinal de fêmeas magras em stress muda tanto que se assemelha a um macho obeso.

Outro fator para o aumento do peso é a famosa questão de comermos mais – e comidas mais calóricas – quando estamos stressados. A grelina é a hormona responsável pela fome, e a leptina é aquela que nos faz sentir saciados. Quando estamos sob stress, o corpo suprime os níveis de leptina e aumenta os níveis de grelina, fazendo que tenhamos vontade de comer mais e não nos sintamos imediatamente satisfeitos.

Se notou que o peso aumentou, se está constantemente em stress, o melhor é reavaliar a sua vida e «desligar» do que lhe está a causar inquietação.

Para Fernando Fernández-Aranda, coordenador da Unidade de Transtornos Alimentares do Hospital de Bellvitge, em Barcelona, «as situações que nos deixam stressados estão diretamente relacionadas com o nosso ânimo para comer e influenciam a ingestão de alimentos, seja por excesso ou defeito.» A verdade é que quando chegamos a este ponto, comer uma fatia de pizza é mais satisfatório que uma laranja, por exemplo.

Quando esta ânsia se torna um hábito, pode ter consequências graves a longo prazo como diabetes ou obesidade. Se notou que o peso aumentou, se está constantemente em stress, o melhor é reavaliar a sua vida, repensar prioridades e encontrar momentos de tranquilidade em que consiga «desligar-se» do que lhe está a causar inquietação.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.