Bimi: a nova sensação das verduras

Tem visto este nome na secção de legumes nos supermercados? Não estranhe. O Bimi surgiu do cruzamento entre os brócolos com a couve Kailan e tem mais nutrientes que os bróculos ou couve.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

Tem mais 60 por cento de compostos bioativos, com efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes, e mais 20 por cento de vitamina C que os clássicos brócolos, couve ou espinafres. Além disso, é também agradável ao paladar.

O Bimi é a nova sensação das verduras e vê-se cada vez mais nos supermercados. Este é um legume que surgiu do cruzamento entre os brócolos e a couve Kailan, dando-lhe um aspeto de «mini brócolos». Em termos nutricionais, o bimi fornece vitamina A e C, zinco, folato, flavonoides e tem ainda propriedades anticancerígenas.

Pode comer-se cru ou cozinhado a baixa temperatura e com pouco tempo de cozedura para manter os nutrientes.

Doenças crónicas e cardiovasculares, inflamações e distúrbios também podem ser reduzidos ao ingerir este tipo de alimento, que juntamente com uma dieta equilibrada e exercício pode ser bastante benéfico para a saúde.

«As propriedades do bimi são realmente benéficas para a saúde humana, especialmente pela sua riqueza em antioxidantes e compostos anticancerígenos», explica a nutricionista argentina Gabriela Gottau, no site Vitónica.

Outra vantagem do legume é que se pode comer cru – podendo assim beneficiar de todos os nutrientes – e, como o talo é fino e o florete é pequeno, não se desperdiça nada do bimi. Pode também cozê-lo ou salteá-lo.

«Se preferir cozinhar o bimi, faça-o a baixa temperatura e, no máximo, por três minutos. É suficiente para cozê-lo e conservar melhor as suas propriedades nutricionais. Outra alternativa é juntá-lo aos últimos 20 minutos da carne ou do peixe assado», aconselha a DECO – Defesa do Consumidor, que fez um artigo comparativo entre o bimi e os brócolos.

Entre os dois legumes, a vantagem de comprar brócolos (ao invés de bimi) é apenas no preço. «Um quilo de bimi custa, em média, 9,94 euros, mais sete euros do que os brócolos, que custa cerca de 1,38 euros por quilo», explica a associação.

Pode não entrar no clube dos alimentos mais caros do mundo, como estes que aparecem na fotogaleria acima, mas, se é de legumes que falamos, o bimi é bom e caro.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.