8 sinais de que o seu emprego está em risco

Por vezes, os ambientes de trabalho tornam-se tensos, pesados e ficamos na dúvida se o nosso posto de trabalho está, ou não, em risco. Seja pela relação com os chefes, com os colegas ou por alguma mudança estrutural da empresa, o receio de ser despedido acontece. Mas há sinais subtis que podem antever esta situação desagradável. Ao identificá-los, talvez possa ainda salvar o lugar ou preparar-se melhor para esse momento.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia Shutterstock

1. Recebeu uma má avaliação (ou duas, ou três…)

Uma má avaliação não significa necessariamente um despedimento. No entanto, nunca é uma situação satisfatória e espelha o descontentamento da empresa em relação ao seu trabalho. O ideal é perceber onde está a falhar e tentar mudar o quanto antes.

2. Tem cada vez menos trabalho

Se antes acumulava tarefas, não conseguia fazer tudo o que tinha agendado e tinha de fazer horas extra, agora sobra-lhe tempo. O seu trabalho vai para outras pessoas e não percebe porquê? O seu chefe pode ter perdido a confiança em si. Fique atento ao volume de trabalho, pode estar a ser afastado das suas funções.

3. A relação com o chefe está cada vez pior

Nem sempre a relação com os chefes é a mais estável, mas é importante que exista respeito mútuo e que se evitem tensões desnecessárias. Começou a reparar numa implicância constante por parte da chefia, o seu trabalho é questionado e já não existe espaço para conversas entre ambos? Tenha cuidado para não alimentar este afastamento, pode ser uma desculpa para ser dispensado.

4. Tem de detalhar horários e despesas

De repente, a chefia controla a sua hora de entrada, de saída e questiona cada vez que tem de sair mais cedo? Já reparou se é apenas consigo que esta situação acontece? A empresa pode estar a questionar a sua prestação no trabalho por achar que está a desperdiçar tempo útil ou porque pretende dispensá-lo.

5. Não é o melhor trabalhador em equipa

Trabalhar em equipa nem sempre é fácil e requer alguma cedência de todos os intervenientes para que o objetivo final – que é o mais importante – seja cumprido. É importante integrar-se no espírito e fazer questão de veicular que tem algo de valioso a acrescentar ao projeto. Se não é grande colega de equipa, não se integra em trabalhos que envolvem mais do que uma pessoa, terá de rever essa posição. Nenhum chefe quer ter alguém que só consegue trabalhar sozinho.

6. Não ouve um elogio há muito tempo

Nem todos os chefes estão constantemente a elogiar o trabalho, é um facto. Mas se nota que só tem ouvido críticas à sua prestação – não necessariamente construtivas – pode estar quase a ser despedido. Preste atenção a este fator. Afinal, a sua capacidade profissional levou-o a ser contratado, lembre-se disso. E lembre o seu chefe, também.

7. O relacionamento com os colegas já não é o mesmo

É verdade que não precisamos ser amigos dos colegas de trabalho, nem convidar para o aniversário ou irem jantar fora juntos. No entanto, convém que a relação com a equipa seja amistosa. Preserve essa ligação. Não deixe de fazer parte daqueles momentos de convívio diário porque estes são importantes para fomentar o espírito de grupo. Quanto mais se isolar, mais vai parecer que não faz parte da empresa.

8. A sua opinião é cada vez menos valorizada

Houve uma altura em que as suas ideias eram discutidas, valorizadas e colocadas em prática e agora não é chamado para as reuniões? Este é um sinal comum de que já não é considerado parte integrante da equipa. Tente contornar a situação, converse com o seu chefe em particular, insista que as suas ideias são boas. Não desista logo à partida, é importante mostrar que ainda tem muito para dar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.