Há quem, como a dermatologista alemã Yael Adler, defenda que as tatuagens são uma bomba relógio dentro do corpo. Se, ainda assim, decidir fazê-la, oiça estas estas recomendações.

Texto de NM | Fotografia de Shutterstock

A dermatologista alemã Yael Adler, autora do livro O Fascinante Mundo da Pele, para quem a pele não tem segredos ou tabus, as tatuagens deviam ser proibidas.

Explica ela, por exemplo, que as cores usadas são tóxicas. «Umas são mais tóxicas do que outras, mas não existe controlo científico, como existe com os medicamentos», avisa.

«Se injetar um medicamento, sabe quais serão os efeitos secundários nos vários órgãos. Se injetar cores de tatuagem, cheias de substâncias tóxicas como alumínio, arsénico, cádmio, corantes e conservantes, que são cancerígenos, estas entram na segunda camada da pele (a derme), daí seguem para os canais linfáticos e para os órgãos e não há forma de as absorver», diz a especialista, para quem as tatuagens são uma bomba relógio dentro do corpo.

«As tatuagens são uma bomba relógio dentro do corpo», diz a dermatologista alemã Yael Adler.

«Já para não falar nas possíveis inflamações ou infeções que podem ser transmitidas pelas agulhas que os profissionais das tatuagens utilizam. Esta não é uma profissão médica e os tatuadores muitas vezes não conhecem os cuidados a ter para prevenir as infeções.»

Daí ser tão importante, quando mesmo assim se decide fazer uma tatuagem, fazê-la num atelier certificado, que cumpra todas as regras de segurança e higiene. E pensar duas ou três vezes antes de a fazer. Porque fica para toda a vida.