OPINIÃO

Mas afinal quem foi Roland Garros?

Todos os anos, entre fim de maio e início de junho, os melhores jogadores e jogadoras do mundo de ténis encontram-se em Paris para um dos quatro torneios do Grand Slam (além dos opens de EUA, Austrália e Wimbledon). É Roland Garros para aqui, Roland Garros para ali, mas afinal quem foi o homem que dá nome ao torneio?

Texto de Ricardo Santos

Todos os anos, entre fim de maio e início de junho, os melhores jogadores e jogadoras do mundo de ténis encontram-se em Paris para um dos quatro torneios do Grand Slam (além dos opens de EUA, Austrália e Wimbledon). É Roland Garros para aqui, Roland Garros para ali, mas afinal quem foi o homem que dá nome ao torneio?

Roland Adrien Georges Garros nasceu a 6 de outubro de 1888 na ilha da Reunião e morreu a um dia de completar 30 anos na região francesa das Ardenas. Foi ciclista, jogador de rugby, pianista amador, prisioneiro de guerra e fez nome como ás dos ares, pioneiro da aviação em três continentes.

A um dia de completar 30 anos, a aeronave que comandava explodiu durante um combate e despenhou-se nas Ardenas.

E é justamente por isso que está em destaque, já que a 23 de setembro de 1913 (há 104 anos) Roland Garros efetuou a primeira travessia aérea do Mediterrâneo, ligando as localidades de St. Raphael, em França, e Bizerte, na Tunísia, em pouco menos de oito horas. Depois disso veio a Grande Guerra (1914-1918) e o aviador francês foi feito prisioneiro depois de o seu avião ter sido atingido sob o território belga, então ocupado pelos alemães.

Foi mantido em cativeiro durante três anos, o que lhe degradou o estado de saúde, principalmente a visão (miopia). Apesar disso, o Tigre, como era conhecido, quis continuar a pilotar e a um dia de completar 30 anos, a aeronave que comandava explodiu durante um combate e despenhou-se nas Ardenas.

O nome do estádio vem desde 1928 quando Émile Lesieur, seu amigo de longa data e presidente da associação francesa de ténis, exigiu batizar o local com o nome do herói da aviação.