OPINIÃO

Acha que conhece Portugal?

Assim vale a pena ir de férias.

Deixe para trás as autoestradas e meta-se por caminhos secundários, estradas de serra, trilhos de terra batida. Portugal ainda tem muito por onde surpreender. 13 pequenos segredos que merecem uns dias de evasão nas férias que agora começam.

NM1153_Lugares01

1 – SERRA DA PENEDA
RESERVA DE VERDE

O Parque Nacional da Pene­da-Gerês é conhecido pela sua diversidade e património natural, mas tem zonas a que o grande público ainda não dá a devida atenção. É o caso da serra da Peneda, com uma altitude máxima de 1300 metros e uma paisagem onde os grandes rochedos e vastos planaltos se com­binam com manchas de carvalhal surpreen­dentes. O centro de interpretação de Lamas de Mouro é o ponto de partida para a desco­berta. A aldeia de Castro Laboreiro também merece uma visita com tempo, bem como to­da a sua área circundante. Entre a fauna lo­cal, destaquem-se os corços, os garranos e as aves de rapina. A pé, de bicicleta, a cavalo ou em automóvel, percursos não faltam. E todos bem identificados. Ao longo dos cerca de ses­senta quilómetros de distância desde a Ca­sa do Moinho da Porta até ao incontornável restaurante Abocanhado, não vão faltar motivos de interesse para visitar e ter a certeza de se estar numa das mais impressionantes regiões de Portugal.

RESTAURANTE
O Abocanhado, Lugar de Brufe (Terras de Bouro) Tel.: 253352944
Preço médio: 25 euros
abocanhado.com
ALOJAMENTO
Casa do Moinho da Porta Taíde (Póvoa de Lanhoso) Tel.: 253576577
Casa (4 ocupantes) a partir de 155 euros por noite casamoinhodaporta.com

NM1153_Lugares03

2 – ALDEIA DE ROMEU
A AMOROSA ROMEU

Clemente de Menéres, homem de negó­cios e de muito mundo, chegou a Ro­meu em 1874. Vinha para comprar so­brais, acabou por criar uma quinta de milha­res de hectares que ainda hoje se mantém na família, produzindo vinhos e azeites de agri­cultura biológica. O amor à terra, passou-o ao filho Manuel, que nos anos 1960 restaura ca­sas de trabalhadores, cria uma creche, funda um museu. Passados 140 anos, a aldeia man­tém-se, pequena e adormecida como sempre, em torno de uma rua de casinhas de pedra e canteiros floridos. O pretexto maior para o desvio de cinco quilómetros desde a A4 é o restaurante Maria Rita, fiel às antigas receitas da família e da estalagem que aqui havia no dia em que Clemente chegou. Os vinhos e azeites estão à venda na loja, algumas portas abaixo. E no Museu das Curiosidades pode-se conhecer as máquinas que os Menéres foram exibindo por estes lados: projetores de cine­ma, automóveis, fonógrafos do início do sécu­lo xx, um festim de retrotecnologia. É difícil não nos apaixonarmos por um sítio destes.

RESTAURANTE
Maria Rita Rua da Capela, Romeu
(Mirandela), Tel.: 278939134, Preço médio: 15 euros quintadoromeu.com
ALOJAMENTO
Alfândega da Fé Hotel & Spa, Alto da Serra de Bornes (Alfândega da Fé), Tel.: 279200260, Quartos duplos a partir de 80/120 euros por noite, Distância: 26 km
spahotelalfandega.com

3 – PRAIA FLUVIAL DA CONGIDA
NO RIO, A BANHOS

Tranquilidade, natureza intacta e beleza inóspita fazem do Douro Internacional um destino para qualquer altura do ano. Porém, quando se adjetiva a beleza como inóspita, logo se antevê que com a rosa virão os seus espinhos – neste caso, o Sol inclemente, que no verão parece concentrar toda a sua for­ça nas margens do Douro. Para lhe fazer fren­te, é indispensável um bom recanto de som­bra com água para retemperadores mergu­lhos, o que faz da praia da Congida escala indispensável para qualquer roteiro pelo par­que natural fronteiriço. Além de ostentar a única bandeira azul num raio de 50 quilómetros, tem um convidativo relvado à beira-rio, bar com esplanada sobre o rio e uma pis­cina flutuante a reclamar por atenção. Do ancoradouro parte um barco que dá a conhe­cer a paisagem e a fauna da área protegida – com sorte, avistam-se cegonhas-negras, gri­fos, abutres-do-egito (Tel.: 279653480). E se, no final do dia, não apetecer arredar pé, pode-se ficar logo por ali, nas Moradias do Douro Internacional, com a vista a que se tem direito.

ALOJAMENTO
Moradias do Douro Internacional
Congida (Freixo de Espada à Cinta)
Tel.: 279653018, Casas T1 (máx. 4 ocupantes) a 50/80 euros por noite (época baixa/alta)
RESTAURANTE
Cinta d’Ouro Avenida Guerra Junqueiro, Freixo de Espada à Cinta, Tel.: 279652550
Preço médio: 15 euros. cintadouro.com

NM1153_Lugares05

4 – ENOTURISMO, QUINTA DE LEMOS
LUXO NO CAMPO

Tudo começou com a vontade de fazer vinho, mas hoje a Quinta de Lemos é muito mais que isso, é a experiência de uma vida ao alcance de poucos. Celso de Lemos comprou a propriedade em meados dos anos 1990, no vale do Dão, bem perto de Viseu. Ao todo, são cinquenta hectares de área onde existe uma guesthouse exclusi­va (apenas três luxuosas suites) e um restaurante gourmet, o Mesa de Lemos, onde os vinhos da quinta sabem ainda melhor. Ba­rack Obama, Vladimir Putin ou Cristiano Ronaldo são algumas personalidades que já sentiram no corpo a qualidade dos pro­dutos portugueses que fazem parte do im­pério Lemos – neste caso, os tecidos de al­godão ou caxemira que já ultrapassaram as fronteiras das serras da Estrela e do Ca­ramulo através da marca Abyss & Habide­cor. A pensar nos visitantes ilustres, a quin­ta tem heliporto e áreas onde a arquitetu­ra de traços arrojados, assinada pelo atelier Carvalho Araújo, foi combinada na perfei­ção com a natureza em redor.

CONTACTOS
Passos de Silgueiros, Silgueiros (Viseu), Tel.: 232951748
Suites: preço sob consulta
Preço médio (rest.): 50 euros
quintadelemos.com

NM1153_Lugares02

5 – PRAIA LUVIAL DA ALDEIA DO MATO
TURISMO NO RIO

No concelho de Abrantes há uma praia fluvial que bate aos pontos muitas das zonas balneares marítimas de Portu­gal. A Aldeia do Mato encontra-se na mar­gem esquerda do rio Zêzere, na albufeira de Castelo do Bode, uma das mais conheci­das barragens portuguesas. A proximida­de com Lisboa (pouco mais de uma hora em automóvel) é um fator a ter em conta, tal como a existência de bungalows para quem de­seje uma estada mais prolongada por estas paragens. Piscina flutuante vigiada, cais de acostagem, rampas de acesso, restauran­tes e balneários também estão na lista de in­fraestruturas disponibilizadas. Na albufei­ra há a possibilidade de praticar várias mo­dalidades desportivas como a canoagem, ou de recreio, como os barcos a pedal. Pes­ca, caminhadas e o doce apelo de nada fazer com os pés dentro de água são outras possi­bilidades dignas de nota. Não muito longe, há ainda dois pontos de interesse para des­cobrir: o Castelo de Almourol e Vila Nova da Barquinha. O primeiro está numa ilha no meio do Tejo e é um dos monumentos mais surpreendentes de Portugal. A segunda é uma localidade com uma frente ribeirinha e um centro histórico que merecem ser visita­dos. Em Abrantes, além do restaurante San­ta Isabel, vale a pena passear sem pressas pe­lo complexo ribeirinho Aquapolis, bem como explorar a parte antiga da cidade que D. Afon­so Henriques conquistou aos mouros

RESTAURANTE
Santa Isabel, Rua de Santa Isabel, 12-14, Abrantes
Distância: 14 km, Tel.: 916777068
Preço médio: 15 euros
ALOJAMENTO
Segredos de Aldeia, Praia Fluvial de Aldeia do Mato (Abrantes)
Tel.: 241105809; Bungalow (2 ocupantes) a partir de 40/50 euros por noite (época baixa/alta; inclui pequeno-almoço)
segredosdealdeia.pt

6 – BUDHHA EDEN GARDEN
ORIENTE NO OESTE

O que têm em comum as localidades de Bamyan, no Afeganistão, e Bombar­ral, na zona Oeste de Portugal? Pra­ticamente nada, a não ser o facto de o em­presário Joe Berardo ter escolhido a última para homenagear a primeira. Em 2011, as forças taliban ordenaram a destruição dos Budas Gigantes de Bamyan, um testemu­nho único da arte Gandhara no Afeganistão. Eram Património da Humanidade, isso não foi considerado pelas autoridades afe­gãs e perderam-se estas imensas estátuas com meia centena de metros de altura. Nos meses que se seguiram, Joe Berardo reuniu esforços e criou um jardim de 35 hectares, à saída do Bombarral, onde procurou prestar homenagem, através da arte e da estatutá­ria oriental, a esse património desapareci­do. Entrar no Buddha Eden é quase como es­tar do outro lado do mundo, na presença de réplicas de estátuas religiosas de dimensões apreciáveis ou de imitações dos guerreiros de terracota da China. Obras de arte con­temporânea, jardins cuidadosamente trata­dos, restaurante, café e área comercial para a venda e prova de vinhos da Quinta dos Lori­dos são outras ofertas a considerar. Bem per­to há praias como a Foz do Arelho para visi­tar ou a sempre incontornável Óbidos.

CONTACTOS
Quinta dos Loridos, Bombarral
Tel.: 262605240; buddhaeden.com
RESTAURANTE
Solar dos Amigos, Rua Principal, 49, Guisado (Caldas da Rainha), Distância: 28 km, Preço médio: 20 euros; solardosamigos.com
ALOJAMENTO
Sana Silver Coast Hotel
Avenida Dom Manuel Figueira Freire da Câmara, Caldas da Rainha, Distância: 19 km, Tel.: 262000600; Quarto duplo a partir de 75 euros por noite (inclui pequeno-almoço)
silvercoast.sanahotels.com

NM1153_Lugares06

7 – PASSEIO DE BARCO
PELO TEJO FORA

O Tejo é todo o mesmo. Mas este é dife­rente, inesperado até: navegando pe­las suas águas, facilmente se esquece que estamos nem a uma hora de Lisboa, no mesmo rio que corre à beira do Terreiro do Paço ou sob a Ponte 25 de Abril. As margens são mais verdes e até o céu parece mais azul. E as surpresas ainda não começaram. Des­de logo, o Escaroupim, antiga aldeia avieira, uma das várias da região onde, no início do século xx, se fixaram as populações migra­tórias de pescadores que trocaram o mar re­volto da zona de Vieira de Leiria pelas águas calmas do Tejo, abundantes de sável, enguia e lampreia. Essa vivência está em vias de ex­tinção, mas a memória e o património, em­bora merecessem maior atenção de parte das autoridades competentes, vão-se man­tendo vivos nas coloridas casas de madeira, erguidas sobre estacas para fintar as cheias, e nos barcos de pesca atracados no cais ou repousados na areia. No Escaroupim, mas também na Palhota, do outro lado do rio.
É do cais do Escaroupim que parte o Rio-a-Dentro, o silencioso ecobarco no qual os irmãos Rui e Luís Domingos dão a descobrir os segredos deste Tejo com que cresceram. Um mouchão de nem meio hectare conhe­cido como Ilha das Garças, apinhado de gar­ças, sim – boieiras, reais, brancas-pequenas, noturnas, laranja… –, mas também colhe­reiros, íbis-pretas e muitas outras espécies. O paraíso para birdwatchers. Adiante, uma ilha habitada por cavalos em estado semis­selvagem, lusitanos da Coudelaria de Alter que aqui vivem após o desmame. «O Tejo co­mo nunca o viu», prometem os irmãos Do­mingos. E nós subscrevemos.

RESTAURANTE
O Escaroupim, Largo dos Avieiros, Escaroupim (Salvaterra de Magos)
Tel.: 263107332, Preço médio: 20 euros
ALOJAMENTO
Monte do Areeiro, EN114, km 100,7, São José da Lamarosa (Coruche); Distância: 30 km, Tel.: 919359980 Quartos duplos a partir de 120 euros por noite (inclui pequeno-almoço)
montedoareeiro.com

8 – CAMPISMO
COM GLAMOUR E TENDAS

Acampar com luxo. Acampar com gla­mour. Acampar como se não estivéssemos numa tenda. Há muitas definições para o conceito de glamping. Há uma fina li­nha entre campismo e o conforto total, mas quando se cruza com equilíbrio ambos os conceitos temos o melhor de dois mundos: as valências do contacto com a natureza e os re­quintes de uma suite de hotel. E o glamping em Portugal chegou, viu e venceu. É moda que faz sentido: temos natureza para isso e um sentido de hospitalidade desenrascado que ri­ma bem com os desvios hippie-chic que se im­põem. O «glampista» ideal tem de ter algum espírito de aventura, saber valorizar a pinta ecológica da coisa e apreciar o pequeno gran­de luxo de adormecer numa cama fofinha ao lado de arbustos e areia, como acontece nas Azenhas da Seda, cujas tendas têm requintes de rétro-design únicos. Um empreendimento de aquaturismo que propõe glamping sob o mote «o Alentejo em estado líquido». R.P.T

ALOJAMENTO
Azenhas da Seda
Moinho do Arieira, Cabeção (Mora) azenhasdaseda.com
RESTAURANTE
A Palmeira, Rua 25 de Abril 46, Cabeção (Mora) restauranteapalmeira.pt

9 – ROTEIRO EM MÉRTOLA E GUADIANA
ALENTEJO PROFUNDO

O ponto de partida é a vila de Mérto­la e a sua herança árabe. O museu lo­cal (museus.cm-mertola.pt) tem um Núcleo Islâmico que merece toda a atenção. Nele se pode encontrar vestígios da ci­vilização que, durante sete séculos, ocu­pou o território da Península Ibérica. Por mais que custe deixar a «vila-museu» pa­ra trás, tal a sua beleza e interesses, há mais para ver ao longo do Guadiana que a banha. O Alentejo profundo do Pulo do Lobo e da sua impressionante cascata, um passeio de barco com saída de Alcoutim ou uma ida à vizinha Espanha com tempo para petiscos e compras em Sanlúcar do Guadiana es­tão entre as sugestões para um programa bem passado no interior sul de Portugal. A jusante de Mértola destaque para a Mina de São Domingos, em tempo uma atarefa­da povoação da região. No Pomarão, tam­bém no rio, vai ser difícil escapar ao impac­to da paisagem deste Alentejo que não cos­tuma fazer parte dos principais roteiros de férias. Arqueologia, gastronomia, nature­za, história e arquitetura são áreas bem re­presentadas. Faça-se já à estrada.

ALOJAMENTO
Ecoland Turismo Rural
Corte Gafo de Cima (Mértola)
Tel.: 286611111, Quarto duplo a partir de 40 euros por noite (inclui pequeno-almoço)
ecoland.pt
RESTAURANTE
O Brasileiro, Cerro de São Luís, Mértola, Tel.: 286 612 660 Preço médio: 15 euros
facebook.com/ restauranteobrasileiro

10 – TURISMO ATIVO EM BTT
BASTIDORES DO ALGARVE

António Gavinho conhece o Algarve co­mo poucos. Não, não domina a cena das sunset parties, não conhece as praias to­das de ginjeira nem é uma enciclopédia em matéria de esplanadas à beira-mar. Ou talvez até seja, mas o seu ofício é outro: os «bastido­res» da região. Os caminhos de serra, os cor­redores entre a vegetação, os miradouros fo­ra de rota de onde se avista um Algarve real­mente inesperado. Ao roteiro junte-se bons restaurantes e unidades de alojamento com todo o conforto que o final de um dia inteiro a pedalar exige. Por norma, os percursos são feitos em BTT, mas a empresa de António Ga­vinho também disponibiliza bicicletas hí­bridas – opção ainda com pouca procura no mercado nacional mas com imenso potencial –, que juntam o melhor de um modelo de estrada e de um todo-o-terreno.
São vários os programas no Sul de Portu­gal, mas o mais surpreendente será o Transalgarve, uma travessia de quatro dias e 250 qui­lómetros que liga Vila Real de Santo António a Sagres, passando por Cacela Velha e Tavira, por laranjais e bosques de sobreiro, pelo cora­ção das serras de Caldeirão e Monchique, por praias como Burgau ou Zavial. Há também a opção de fazer o programa de forma mais descontraída, ao longo de uma semana, ou apenas algumas etapas, em expedição guia­da ou em autonomia (sendo que, neste caso, o kit inclui livro de rota, mapa diário e trilho marcado para GPS). Recomendação essen­cial: evitar os meses de julho e agosto, devido às temperaturas no interior e às multidões no litoral. Mas também isso, para quem quiser, é exequível. Na Caminhos de Natureza traba­lha-se à medida da pedalada de cada cliente

CAMINHOS DANATUREZA
Tel.: 214029752/
962543289/98
Preços Transalgarve: 359 euros por participante (expedição guiada, 4 dias; inclui guia, alojamento 3 noites, almoços volantes, transfer de bagagem, viatura de apoio, transporte Sagres-Vila Real e seguros; não inclui bicicleta; próxima saída: 5 a 8 dezembro);
a partir de 799 euros (em autonomia, 8 dias; inclui kit de informação detalhada, trilho GPS e telefone; alojamento 7 noites, transporte e seguros; não inclui bicicleta; datas a combinar; mín. 2 pessoas); sob consulta (grupos; datas e condições a combinar; mín. 2 pessoas)
caminhosdanatureza.pt

11 – PRAIA DA ILHA DA BARRETA
MAR SELVAGEM

Os nove quilómetros de praia quase selvagem da ilha da Barreta, no Algarve, só estão ao alcance dos mais sortudos. E daqueles com mais curiosida­de em conhecer um dos grandes segredos algarvios. Chegar à ilha é simples, basta apanhar um dos barcos que saem do cais da Porta Nova, em Faro (seis saídas diárias) e entrar pela ria Formosa até ao mar. São muitas as espécies protegidas neste ecos­sistema único, como os cavalos-marinhos, sessenta espécies de peixes, moluscos e crustáceos ou aves que chegam das regiões mais frias do planeta para aqui passar uma temporada. A observação de pássaros é uma atividade com bastantes prati­cantes na Barreta, só superada pe­lo mergulho em águas transparen­tes e com temperatura mais-do-que-agradável. Esse é um dos principais encantos desta ilha também conhecida por Deserta, a pos­sibilidade de se fechar os olhos e imaginar que se está num qualquer paraíso balnear do planeta. E, na verdade, está-se mesmo. Há que aproveitar o dia na ilha para percor­rer o passadiço de madeira até ao cabo de Santa Maria, o ponto mais meridional de Portugal continental, e para deixar as preocupações bem lá para trás.

ALOJAMENTO
Hotel Faro, Praça D. Francisco Gomes, 2, Faro Tel.: 289830830
Quarto duplo a partir de 60/88 euros por noite (época baixa/alta; inclui pequeno-almoço)
hotelfaro.pt
RESTAURANTE
Estaminé, Ilha da Barreta (Faro) Tel.: 917811856, Preço médio: 30 euros. animaris.pt

12 – FÁBRICA DE CHÁ DA GORREANA
O ÚNICO CHÁ DA EUROPA

O chá chegou a São Miguel há mais de um século. Ainda assim, será para mui­ta gente uma surpresa descobrir que a planta é produzida em Portugal. Ou na Euro­pa. Mas mesmo para quem já o sabia, a visita à mais antiga fábrica de chá do Velho Conti­nente não deixa de causar espanto. Logo à chegada, pela magnífica vista, uma ondulan­te mancha verde-clara com o Atlântico como pano de fundo. Depois, pela fábrica em si. Não há museu que supere isto: aqui, parte da ma­quinaria ainda é a que se usava quando a plan­tação da Gorreana deu o seu primeiro quilo de chá, em 1883. É um deleite ver em funcionamento toda esta tecnologia gloriosamente obsoleta que, por ano, debita algo como 33 to­neladas de produto. Ao longo da visita, desco­bre-se a história do cultivo na ilha, provam-se as quatro variedades disponíveis (a saber: ver­de Hysson e preto Orange Pekoe, Broken Le­af e Pekoe) e termina-se numa cafetaria-loja onde, além do produto-estrela, há outras delí­cias açorianas, como o gelado artesanal de na­ta e chá verde. No mínimo, surpreendente.

CONTACTOS
Gorreana, Maia (Ribeira Grande)
Tel.: 296442349. gorreana.org
ALOJAMENTO
Terra Nostra Garden Hotel, Furnas; Distância: 14 km, Tel.: 296549090 Quarto duplo a partir de 78 euros por noite. bensaude.pt
RESTAURANTE
Alabote, Largo East Providence, Ribeira Gran­de, Tel.: 296473516; Preço médio: 25 euros

13 – ZONA VELHA DO FUNCHAL
FORA DO CIRCUITO

Era um bairro de reputação duvidosa, pouco aconselhável após o cair da noite, entre a cidade e a Fortaleza de São Tiago. Até que, há uns anos, os funchalenses se dis­puseram a olhá-lo com outros olhos. Afinal, aqui a cidade tinha nascido, na Rua de Santa Maria, a mais antiga da ilha. Hoje a Zona Ve­lha é o bairro da noite na capital madeirense. E do dia, também: com a recuperação surgi­ram iniciativas como a Arte de Portas Aber­tas, que das portas dos edifícios fez telas. Ou a Feira da Lagartixa, antiguidades aos sábados de manhã na Travessa do Acciaioli. Esse espí­rito vintage está presente um pouco por toda a zona. Na carta de pratos caseiros da Venda da Donna Maria, que recupera receitas num ambiente de mercearia à antiga. Na «tasca li­terária» Dona Joana Rabo-de-Peixe: livros, música, petiscos, vinhos e uma decoração de peças antigas para venda. Está na playlist do 23 Vintage Bar, das décadas 1970 a 1990. E na Venda Velha, onde a poncha, seja nas receitas tradicionais ou em preparações frutadas – pi­tanga ou goiaba – é a rainha.

RESTAURANTE
Venda da Donna Maria, Rua de Santa Maria, 51, Funchal, Tel.: 291621225, 15 euros
ALOJAMENTO
Hostel Santa Maria, Rua de Santa Maria, 147, Funchal, Tel.: 291649120, Camas a 15 eu­ros por pessoa/noite, em dormitório; quartos duplos a partir de 30 euros por noite; preços incluem pequeno-almoço

João Mestre e Ricardo Santos