OPINIÃO

Queridos rivais

José de Pina pelo Sporting, Manuel Serrão pelo Porto.

Não se trata de mais um Prolongamento, mas de um duelo para celebrar o clássico que se joga no dia 2. O Sporting-Porto já começou.

É o clássico mais quente dos últimos anos do futebol português, um Sporting-Porto no final da primeira volta que pode decidir muita coisa quanto ao título de favorito para campeão da Liga. Um jogo com os dois primeiros do campeonato quando temos um Sporting de Jesus mais ambicioso e um Porto de Lopetegui capaz do melhor e do pior.

O humorista José de Pina e o empresário Manuel Serrão discutem ferozmente todas as semanas no programa Prolongamento, da TVI 24. E discutem aqui também. «Vamos jogar contra uma equipa com bons jogadores mas mal organizada»: é Pina, sportinguista otimista, apesar dos últimos resultados, quem dá o pontapé de partida. Serrão corta cantando vitória em Alvalade. E chamando à baila a maldição natalícia dos leões. «Essa piada tinha que ver com aquilo dos 17 anos sem ganhar nada, já não faz sentido», diz o adepto leonino. O portista riposta, lembrando que a quadra não favoreceu os leões e mais «com esta derrota do Sporting vai começar uma nova maldição: a dos Reis. Ouçam o que eu digo: trauma dos Reis!» O sorriso amarelo de José de Pina não impede outra provocação: «Esta vitória do Porto vai ser como que um Xanax para o Sporting – finalmente cai por terra.» Agora é que Pina afina e faz a cara de mau que o celebrizou em Futebol de Perdição, na Sporting TV.

Para pôr ainda mais lenha na fogueira, propomos que adivinhem quem vão ser os vilões e os heróis. Pina quase aposta que Casillas vai dar alegrias aos da casa, Serrão é mais taxativo: «Vilões? O Naldo e o Slimani são bons a dar cabeçadas. Um ou outro podem ser expulsos desde que desta vez o árbitro veja. Quanto ao meu herói deve ser o André André, ele também já anda a descansar há tanto tempo que até penso que vai fazer dieta de Natal para estar em grande em Alvalade. Esperemos é que a sua fadiga muscular tenha passado.» Para o comentador do Sporting, o trunfo da sua equipa é Slimani se não houver um castigo anunciado à última hora.

Relativamente a superstições, dizem que não têm, embora Pina tenha ido a Alvalade sempre com o mesmo cachecol. O cachecol do título? «Digamos que é o cachecol deste ano», joga à defesa. «O meu único ritual é nunca sentar-me. Vejo sempre os jogos em pé, mesmo tendo o meu lugar no camarote. Neste jogo vou ver pela televisão mas em pé.»

O rival ri e despede-se com uma teoria: «A lei da probabilidade está do nosso lado: por um lado, o Sporting já foi tão beneficiado pela sorte que talvez desta vez isso não aconteça. Além disso, o Porto, que já inventou tanto e fez tantos jogos sem os seus melhores jogadores, talvez desta feita jogue com os melhores.»

JOSÉ DE PINA
Fundador da Produções Fictícias, escreveu para Herman José e para o Contra-Informação. Além de argumentista, apresentou programas de televisão. Agora é comentador do Prolongamento, da TVI 24, e do programa Irritações, da SIC Radical. Está a escrever a série de TV A Espia.

MANUEL SERRÃO
Grande voz de promoção da moda nacional, o empresário do Porto, que ganhou fama em A Noite da Má Língua, mítico programa da SIC, defende há anos as cores do FC Porto na TV. Está a preparar o Modíssimo, integrado no Portugal Fashion, a primeira feira de moda num aeroporto em atividade, o Francisco Sá Carneiro. Está no Prolongamento.

Rui Pedro Tendinha
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens