OPINIÃO

Mudar de vida, um dia de cada vez

Por vezes, bastam pequenas mudanças para conseguir grandes resultados

Viver uma vida mais saudável pode parecer assustador. Devemos passar a comer apenas saladas? E correr dezenas de quilómetros to­dos os dias? Muitas vezes, bastam pequenas mudanças no dia-a-dia para ver grandes resultados. Como provam estes casos de sucesso.

Leia mais artigos do Movimento Saudável aqui.

Além de ser uma necessidade, ser sau­dável está na moda. É um facto. A prová-lo, está o número, cada vez maior, de pessoas que enfiam os fa­tos de treino e correm na rua, os li­vros sobre alimentação saudável, as marcas de desporto que se associam a designers de re­nome e os sites e páginas de redes sociais inteiramen­te dedicados ao tema. A tendência poderá ser uma res­posta aos contínuos alertas da Organização Mundial de Saúde – já no início deste ano, a OMS apresentou números preocupantes sobre a Europa, resultado de um estudo conduzido entre 2005 e 2010, concluindo que mais de 50% da população adulta, em 46 dos 51 países, observados sofria de excesso de peso. Ain­da que o peso seja um dos resultados mais visíveis de uma vida sedentária e pouco saudável, as conse­quências são extensas e nem todas se conseguem ob­servar a olho nu. Colesterol elevado, hipertensão e diabetes são apenas alguns problemas de uma lista de condições que reduzem a qualidade e tempo de vida, estando intimamente associados ao desenvolvimen­to de doenças cardiovasculares – principal causa de morte em Portugal.

Assustado? A boa notícia é que, na maioria dos ca­sos, é possível melhorar todos estes números: bas­ta fazer algumas alterações ao que coloca no prato e mexer-se. Os resultados, acredite, vão aparecer.

nm1147_monica01

«OLHEI PARA O ESPELHO E VI O QUE NÃO QUERIA VER»

«Inicialmente, somos um pouco avessos a mudanças e não nos apetece muito, mas depois tudo isto compen­sa e torna-se uma parte agradável da nossa vida», expli­ca Mónica Silvestre, 39 anos. Depois do nascimento das duas filhas, Mónica, como muitas mães, passou a dedi­car todo o tempo e atenção à família. «Quando me di­ziam que tinha de pensar também um pouco em mim, dizia sempre que não tinha tempo para isso, pois elas es­tariam sempre em primeiro lugar, independentemen­te das minhas necessidades. Tudo era feito e tratado em função das minhas filhas. Até que um dia olhei para o es­pelho e vi o que até aí não queria ver. E disse para comi­go: “Assim não podes continuar… Tens de parar e pensar um pouco em ti!”»

Do quotidiano de Mónica passaram a constar o exer­cício físico e uma alimentação mais saudável. Ajustar-se a uma nova rotina não foi um mar de rosas, é certo, mas o mesmo exercício que andava a evitar há anos não tar­dou a tornar-se parte fundamental dos seus dias. «Tor­nei-me uma verdadeira viciada em cycling. De tal forma que, quando acordava, tinha pena de só poder ter a minha aula ao fim da tarde.» Quem também ajudou à mudança foi Maggie, a cadela golden retrivier: «A Maggie ajudou-me muito a mexer-me mais, porque às vezes não nos apetece ir só por nós – porque está frio, porque está calor, enfim… – e, com ela, passei a ter a obrigação de sair.»

«Tinha perdido peso e sentia-me verdadeiramen­te bem, achando que estava em boa forma física», diz Mónica. Assim, foi com surpresa que, em fevereiro de 2013, depois de umas análises de rotina, descobriu que tinha o colesterol bem acima do limite recomen­dado: 233. Ao choque, seguiu-se a certeza de que es­te seria mais um obstáculo que superaria. A conselho da nutricionista, Mónica decidiu experimentar o de­safio Becel pro.activ: teria apenas de beber um iogur­te, todos os dias, durante 21 dias. «Achei ótimo, porque não precisava de medicação. Coloquei o alarme do meu telemóvel para tocar todos os dias às cinco da tarde. Co­nhecendo-me, sabia que se não o fizesse iria esquecer–me ou iria estar muito ocupada e nem sequer pensa­ria no lanche.» Mantendo o exercício na rotina e a saú­de no prato, 21 dias depois, as novas análises provavam que valera a pena: «Maior do que a surpresa que tive ao descobrir os valores de colesterol elevados, foi a surpre­sa que tive quando reduzi os valores de colesterol em 15%. Nem queria acreditar.»

Hoje, passado mais de um ano, Mónica mantém os mesmos hábitos que a levaram até aqui: «Equilibrar a alimentação, beber o iogurte diariamente e fazer exercício físico.»

nm1149_pedro01

«MANTIVE O DIA-A-DIA NORMAL»

Pedro Martins é outro caso de sucesso no que toca à luta contra o colesterol. Tal como Mónica, ele também acei­tou o desafio Becel pro.activ, mas optou por não fazer dieta. «Durante esses 21 dias mantive o meu dia-a-dia normal. Tinha algum ceticismo acerca da eficácia dos iogurtes e decidi não fazer dieta para ter a certeza de que os resultados surgiam do desafio», diz Pedro a rir. Praticante de natação, o exercício físico já era parte da sua vida e os níveis de colesterol elevados eram, como define, «de boca». Afinal, como bom garfo, assume que até chegou a comer duas vezes alheira ao longo do desa­fio. No entanto, cumpriu rigorosamente a tarefa de be­ber, todos os dias, um iogurte. «Na altura fui passar um fim de semana a Marraquexe e levei os iogurtes comigo. Os meus amigos até gozaram quando me viram com as malinhas térmicas!» A verdade é que, depois de refazer as análises, Pedro não tem dúvidas. «Posso não ter redu­zido muito o colesterol, mas garanto que o que baixou foi, exclusivamente, graças à Becel. Se além disso hou­ver um cuidado acrescentado, tenho a certeza de que os resultados serão muito mais evidentes.»