OPINIÃO

Eles são barbeiros dos sem abrigo

Passam as folgas na rua, com tesouras e pentes nas mãos, a espalhar o bem.

Ajudar não custa nada. Cortar o cabelo também não. Mark Bustos, Joshua Coombes e Nasir Sobhani são barbeiros e disponibilizam-se para cortar o cabelo e aparar a barba aos sem abrigo. Não há dinheiro envolvido. Um sorriso no rosto daqueles que ajudam é o suficiente para pagar.

No seu único dia de folga, Mark Bustos deambula pelas ruas de Nova Iorque (EUA), munido de tesouras, máquina de barbear, pentes e navalhas. Durante a semana, é cabeleireiro no Tree Squares Studio, um luxuoso salão de beleza no bairro de Chelsea. Ao domingo, podia aproveitar para descansar, mas em vez disso palmilha a cidade que nunca dorme à procura de clientes. Encontrá-los não é difícil – eles estão em todo o lado, à entrada das estações de metro, à porta de grandes complexos empresariais, em jardins abandonados. Quando os encontra, aproxima-se e diz: «Hoje quero fazer algo simpático por si.»

Desde maio de 2012 que Mark Bustos, 32 anos, tem oferecido cortes de cabelo aos mais necessitados. Começou por fazê-lo nas Filipinas, onde vivem os seus familiares. Enquanto lá esteve, pagou ao proprietário de uma velha barbearia local para alugar uma cadeira e nela prestar serviços a crianças pobres. Gostou tanto que, em Nova Iorque, decidiu continuar a cortar o cabelo às crianças mais carentes, e estendeu o gesto aos jovens e adultos. Hoje, Bustos ajuda, em média, oito pessoas em cada domingo. Sempre que pode, desloca-se a outras cidades para transformar o visual das pessoas – já esteve em Miami, Chicago, Los Angeles e, fora dos EUA, em Hong Kong. Na sua conta pessoal de Instagram, onde tem mais de 276 mil seguidores, partilha fotografias do seu trabalho pelas ruas, com a hashtag #BeAwesomeToday.

Dois exemplos na Europa e Austrália
Já em Londres e em Melbourne, Joshua Coombes, 29 anos, e Nasir Sobhani, 27 anos, respetivamente, dedicam-se a cortar o cabelo àqueles que vivem ao relento. Também é nas redes sociais que estes barbeiros partilham as imagens das suas boas ações. Juntamente com os fotógrafos Matt Sprackle e Dave Burt, Joshua criou a conta #DoSomethingforNothing para publicar as fotografias das pessoas que ajuda. Já Sobhani assume a responsabilidade da iniciativa Clean Cut Clean Start.

Acreditando verdadeiramente que um novo corte de cabelo pode simbolizar um recomeço na vida de alguém, Sobhani é feliz a manusear tesouras e navalhas. «Adoro pessoas e adoro cortar o cabelo. É esta a minha paixão. É isto que me faz feliz», lê-se no site The Streets Barbers, por ele criado. «Costumava ser viciado em drogas e não me importava com ninguém. Agora estou limpo. Partilhar as vozes dos oprimidos é a minha nova droga. Adoro ser o barbeiro das ruas.»

Conheça melhor o trabalho de Mark Bustos, Josh Coombes e Nasir Sobhani na galeria de imagens.

Cátia Pereira Matos