OPINIÃO

Dos zero aos quatro filhos em menos de dois anos

O que mudou na vida de Mariana Seara Cardoso? Tudo, basicamente.

Mariana Seara Cardoso engravidou e, em vez de um, vieram dois filhos. Susto, surpresa, mudança de mentalidade, adaptação. Sete meses depois, descobriu que estava grávida… de gémeos. No espaço de dois anos, passou de zero para quatro filhos. Como se consegue manter a sanidade mental com quatro filhos pequenos, numa vida que pode ser caótica, desarrumada, difícil e com muitos nervos à mistura? Como gerir toda esta logística. Ela garante que basta descomplicar e derrubar lamúrias. Desde que tenha ajuda, claro.

Como se consegue orientar para agilizar o caos de ter quatro filhos com uma diferença de idade tão pequena?
Tentamos sempre que durmam a sesta ao mesmo tempo, o que nem sempre é possível, para nós próprios podermos almoçar e desfrutar um bocadinho. Nem sempre conseguimos mas tentamos aos fins-de-semana.

O casal perde o norte?
Sentimos que ficamos em stand-by. Neste momento as nossas prioridades passam por eles e a diferença de uns para outros é grande, porque não sentimos esta mudança com o primeiro par. Somos os dois muito práticos e sempre tivemos muita ajuda da família. Sempre dormiram fora de casa, nos avós ou nos tios, conseguíamos gerir o tempo para nós. Agora é completamente diferente, ninguém fica com quatro bebés, nem o pai se sente à vontade. A única pessoa que acaba por estar todos os dias sozinha com eles sou eu. O meu marido chega tarde, trabalha por conta própria, o que foi excelente para dar apoio nos primeiros tempos que são os mais duros.

Tiveram de mudar de casa?
Já tínhamos mudado. O meu marido é arquiteto e tivemos de fazer algumas alterações. E comprámos um carro de sete lugares.

Quais custaram mais?
Os primeiros foram mais difíceis, elas são bebés muito tranquilas e fáceis.

Ou a capacidade de resistência é maior?
Também. Acabam por não ser tão mimadas, a atenção é dividida por quatro, são mais autónomas. Na hora de dormir, têm de ficar, não há grande escolha, os primeiros acabaram por ganhar mais manhas porque tiveram mais mimo, estas não têm mesmo hipótese. São quatro a ir para a cama na mesma altura, conto uma história, mas não posso pegar ao colo em nenhum. Tem de ser igual para todos.

A hora de adormecer costuma ser um drama para a maioria dos pais…
Tenho amigas só com um filho que acordam mil vezes por noite. Eu fico por ali, encosto a porta do quarto, se choram muito, vou lá, estou sempre presente, mas depois acabam por adormecer. Fico lá, dou a mão, mas não posso pegar ao colo. Eles choram, estou sempre com eles, mas não lhes posso pegar, os mais velhos já percebem que chegou o momento de dormir.

A que horas os deita?
Durante a semana, às 20h30 vão para a cama. Temos de ter disciplina, e quando vão dormir fora para casa dos avós, todos têm de cumprir os mesmos horários, as nossas regras têm de continuar, dou-lhes muito mimo, mas há coisas que não faz sentido quebrar. Nós próprios temos de ter vida. Se não houver horários de dormir e de comer, a nossa vida vira um inferno e acredito que gerir isto seja o mais difícil para a maioria dos pais. A rotina é uma luta de todos os dias.

E como começa o dia?
As mais pequenas acordam por volta das oito, dou biberons, voltam a dormir, enquanto eu vou despachando os outros para a escola. Entretanto, voltei a trabalhar mas não estou a tempo inteiro, tenho uma empregada que fica com as bebés o dia todo. De resto, todos os dias é igual. À tarde vou buscar os gémeos e umas vezes vamos para o parque, só eu e eles, gosto que continuem a sentir-se especiais, outras vezes, acabamos a brincar todos juntos em casa.

Quando o seu marido chega a casa, ainda vê os filhos acordados?
Regra geral não. Normalmente chega por volta das 21h.

Mas tem a empregada até essa hora?
Tenho até às 18h30.

O que faz? A trabalhar a part-time, há menos dinheiro a entrar.
Trabalho no Marketing de uma empresa. À noite, ocupo-me do blogue [aospares.pt] que encaro como um trabalho rentável neste momento e que me dá muito prazer.

Ter quatro filhos não é barato. Haverá muita gente que gostaria de ter mais filhos, mas por questões financeiras não tem. Ter uma empregada a tempo inteiro, por exemplo, custa dinheiro. Quanto custa ter quatro filhos? Já fizeram as contas?
Vai dependendo de muita coisa, mas não sai barato, não.

Os gémeos mais velhos reagiram bem quando nascera os mais novos?
Acho que não foi fácil para eles, de repente viram duas coisas estranhas, principalmente a Matilde, teve ciúmes, mas depois passou. A parte maravilhosa e melhor de tudo isto que nos aconteceu é poder vê-los a brincar os quatro, a serem amigos. Fui filha única durante sete anos e detestava.

Toda a ajuda é pouca?
Há ajudas que não são bem ajudas, é mais companhia e brincadeira. A ajuda a sério faz tudo, muda fralda, dá banho, dá papa, toma conta. O meu irmão, que entretanto foi trabalhar para fora, é um exemplo. Ajuda em tudo. Tem 21 anos e disponibilizava duas tardes da vida dele para ajudar os sobrinhos, é pouco comum.

Quem lê o blogue, fica com a sensação de que afinal até fácil. Qual é o segredo?
Sou organizada e disciplinada, e tenho a sorte de eles também ajudarem a isso. Consigo fazer coisas quando eles dormem, é aí que me organizo e encontro tempo para mim. Consigo escrever e responder às pessoas, comer, cozinhar, acho que não complico, sobretudo. Vejo casos de mães apenas com um filho e tem tudo de estar perfeito, tem de ter sempre o laço posto… Eu não dramatizo.

Vocês conseguem ter serões?
Conseguimos. Pode ser a trabalhar, a ver um filme, a dormir, o que seja, mas é um tempo reservado para nós, para o que nós precisamos. A disciplina, para nós, é uma coisa importante. Brincamos mas tem de haver regras, senão ficamos parvos e estúpidos, a vida não é só mudar fraldas, dar leites e sopas.

Quanto tempo demora a sair de casa? Uma ida à praia, por exemplo.
Um exemplo: fomos para a Serra da Estrela só com o Tomás e a Matilde, os primeiros, para lhes mostrar a neve. Havia mais casais com filhos, mas a de manhã éramos os primeiros a estar despachados. Com os quatro demoro mais tempo, mas acho que sou despachada, não «engonho» de manhã!

Quanto tempo, ao certo, se estiver sozinha?
Mais ou menos uma hora, mas depende dos dias.


Leia a continuação da entrevista a Mariana Seara Cardoso: «Ela foi mãe de gémeos… duas vezes»


 

Ana Carreira
Fotografia Paulo Spranger/Global Imagens