YesDoc: uma app, um consultório sempre aberto

António Pina é diretor executivo da YesDoc, app lançada em setembro e que conta com 2500 utilizadores

Aplicação permite escolher especialidade médica, data e hora de teleconsulta, a partir de qualquer lugar do país e do Mundo, 24 horas por dia, sete dias por semana. Com pontualidade garantida.

Apalpa-se o pulso ao mercado, escutam-se profissionais entendidos na matéria, fazem-se perguntas, procuram-se respostas, analisam-se estudos, trabalha-se a ideia, afina-se a plataforma informática. E, em setembro de 2021, a YesDoc começa a funcionar. A app portuguesa, rápida e intuitiva, disponibiliza consultas de saúde online. Ganha-se tempo, poupa-se dinheiro.

António Pina, diretor executivo da YesDoc, formado em Direito, consultor fiscal de uma multinacional durante 30 anos, aprecia desafios e lembra-se bem do tempo em que a população do Interior perdia horas na estrada para ir a uma consulta à cidade. Os tempos são outros, as exigências também. “As condições são melhores, mas as dificuldades são efetivas, e agora é possível ter acesso a cuidados de saúde com maior conforto”, refere. A YesDoc está disponível gratuitamente na Google Play e na Apple Store e permite marcar uma teleconsulta rapidamente. Ao dispor, uma equipa de 24 médicos de 13 especialidades: Medicina Geral e Familiar, Dermatologia, Obstetrícia, Psiquiatria, Ginecologia, Pediatria, entre outras. Por enquanto, porque a ideia é crescer.

É um sistema com várias vantagens, sobretudo no atual contexto pandémico. “Evitam-se deslocações e contactos diretos, aliviam-se hospitais, centros de saúde e gabinetes médicos de consultas desnecessárias.” Há aspetos que, em seu entender, não devem ser ignorados. A procura de estacionamento para ir ao médico, as horas que se perdem no trânsito ou em transportes públicos, a justificação para faltar ao emprego, a dificuldade de marcar uma consulta fora de horas, aos fins de semana, em férias ou numa viagem de trabalho. A YesDoc está disponível 24 horas por dia, sete dias por semana. “Há o fator tempo que é um fator económico que se ganha porque não há deslocações”, diz António Pina. Tudo tratado a partir de casa.

A relação entre doente e médico é confidencial, claro, e a YesDoc não abre mão da pontualidade, atendimento à hora marcada. Tudo pensado para cumprir agendas e não fazer esperar. As teleconsultas têm um custo de 40 euros nos dias úteis, entre as 8 e as 20 horas, e 50 euros aos fins de semana e feriados e das 20 às 8 horas durante a semana. Os utilizadores podem usar o chat da YesDoc para enviar exames médicos ou resultados de análises clínicas, bem como para receber prescrições médicas ou tratar de outros procedimentos de saúde. O pagamento é feito no ato da marcação, por referência Multibanco, MB Way ou Visa. A app não obriga ao pagamento de mensalidade ou à fidelização de qualquer serviço e, neste momento, tem cerca de 2500 utilizadores – esperam-se dez mil daqui a um ano.

António Pina aponta dois desafios para a startup que começou do zero: dar visibilidade à marca e à solução, como alternativa às consultas médicas presenciais, e desmistificar preconceitos em torno da telemedicina. “Dar confiança relativamente à solução e relevar as vantagens que para a maior parte das pessoas não são tão óbvias”, especifica. “As vantagens são enormes e o caminho é desafiante”, garante. Já há ideias a fervilhar para um upgrade neste sistema que alia tecnologia e medicina.