De um pequeno espaço (re)nasceu uma casa inteira

A corda na mezzanine é um dos toques contemporâneos num projeto que respeitou as linhas tradicionais

Em Belém, duas moradias degradadas ganharam uma nova vida. Com traços que procuram manter a tradição e toques de modernidade, o projeto resgatou luz, amplitude e funcionalidade.

Eram duas pequenas moradias de divisões minúsculas, marcadas pela degradação e onde a luz não tinha papel principal. A reabilitação, uma necessidade urgente, tornou os espaços irreconhecíveis. Conquistaram amplitude, luminosidade e funcionalidade.

O desafio, conta Mariana Morgado Pedroso, “era encaixar tudo num espaço tão pequeno e, a quem olha, parecer algo contemporâneo e amplo”. As fachadas encontram-se inalteradas e a reabilitação manteve a “construção e a arquitetura tradicional portuguesa daquela zona” de Lisboa, destaca a diretora-geral da Architect Your Home. Do gabinete responsável pelo projeto, foi Pedro Clarke o arquiteto quem chefiou todo o trabalho.

Para otimizar o espaço ao máximo, foram necessárias “soluções inteligentes” que permitissem ter “todas as divisões de uma grande casa numa moradia de dimensões modestas”.

Para uma das casas, e aproveitando a altura do edifício, a solução foi construir uma mezzanine, um espaço extra para uma segunda sala de estar ou um segundo quarto.

Nas duas moradias, apesar das pequenas dimensões, não falta um escritório. “A ideia surgiu a meio da pandemia, quando nos apercebemos da importância de um ‘home office'”, diz Mariana Morgado Pedroso. As restrições vividas nos últimos dois anos espoletaram ainda a “preocupação com o espaço exterior privado”, e foi criado um pequeno local de refeição e de estar na varanda.

A paleta neutra é uma marca das moradias que, apesar da reduzida dimensão, respiram agora amplitude

Cantarias nas janelas, paredes grossas, recantos típicos das casas antigas, chão de madeira. Mantiveram-se todos esses elementos tradicionais conjugados com materiais igualmente típicos e nacionais: pedra mármore, azulejos e madeira de pinho.

A par das linhas tradicionais, há toques de modernidade que se fazem ver. A corda como elemento de separação na mezzanine, “algo mais original”, é um dos exemplos. “Um detalhe mais moderno e uma solução prática e de custo reduzido.”

Como “a casa é pequena, não pede muito colorido”, imperando no projeto uma paleta de cores neutras. Apesar de a contemporaneidade e a neutralidade pautarem parte dos trabalho da Architect Your Home, Mariana Morgado Pedroso acredita ser uma coincidência. “Procuramos que a personalidade de cada projeto corresponda a cada cliente, assumindo um estilo eclético.”