O vendedor de água que vai para Harvard

Instagram /@rick_chesther

Texto de Ana Sofia Reis

Rick Chesther estava desempregado quando pediu cerca de dois euros a um amigo para iniciar um negócio em que ninguém acreditava: vender água na praia. Apesar da corrente contraditória, nunca deixou de acreditar no sucesso que esse negócio poderia vir a ter. Como a estratégia estava a resultar, decidiu fazer um vídeo, onde explicava a tática adotada. Mal sabia que, com isso, se ia tornar famoso.

Os vídeos tornaram-se virais e fizeram com que o vendedor brasileiro do Rio de Janeiro se tornasse um influenciador e um exemplo de empreendedorismo bastante requisitado. Atualmente, no Instagram, que é a rede social que mais utiliza, conta com mais de 130 mil seguidores. Rick partilha, também, todos os dias vídeos no Youtube com dicas, através de uma linguagem simples e direta, com o intuito de chegar a todo o tipo de público.

O mediatismo de Rick continuou a crescer. E o melhor exemplo disso mesmo acontecerá neste sábado, quando participar, no papel de orador, no Brilive, Brazilian International Live, uma conferência internacional com a participação de grandes nomes do empreendedorismo, e da gestão empresarial, que atuam em diferentes áreas como educação, economia, tecnologia, comunicação, entretenimento. O colóquio realiza-se na prestigiada Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América.

O convite deixou-o de tal forma entusiasmado e emocionado que fez questão de publicar um vídeo onde agradece a oportunidade de brilhar fora de portas e onde realça a importância de acreditar nos próprios sonhos: “O ‘neguinho’ que vendia água em Copacabana vai discursar em Harvard. Estou-vos a contar porque vocês precisam de acreditar em vocês. Não podem desistir. Não têm ideia de quantas vezes me atiraram ao chão. Mas, levantei-me todos os dias e continuei”.

Rick Chesther é também autor do livro “Pega a Visão” e diretor da Mangueira, escola de samba do bairro carioca onde vive no Rio de Janeiro.