Sara: a “mãe” emprestada que centenas de casais gay querem no casamento

Facebook Free Mom Hugs

“Se precisas de uma mãe que assista ao teu casamento com alguém do mesmo sexo porque a tua mãe biológica não vai, telefona-me. Eu lá estarei”. Quando partilhou esta curta mensagem nas redes sociais, Sara Cunningham estava longe de imaginar que essas palavras iriam correr o mundo.

Mas correram. Em poucos dias, oito mil partilhas e uma caixa de correio repleta de solicitações: mais de 500. Jovens homossexuais de todo o mundo decidiram contactá-la para poder realizar um sonho: casarem com a cara-metade na presença de uma figura materna carinhosa e sensível ao amor que não escolhe géneros.

PSA. If you need a mom to attend your same sex wedding because your biological mom won't. Call me. I'm there. I'll be your biggest fan. I'll even bring the bubbles.

Publicado por Sara Cunningham em Sexta-feira, 20 de julho de 2018

Para entender como poderia ser uma mais-valia para a comunidade LGBT, esta americana, residente em Oklahoma, só precisou de olhar para a própria família e alargar horizontes. Se um dos seus filhos, que é homossexual, sofreu na pele vários episódios de discriminação, não devem faltar jovens a passar pela mesma situação, muitas vezes até sem o apoio de pais e familiares mais próximos. Acertou.

Mas a naturalidade com que, hoje, encara a escolha do filho nem sempre existiu. “Sou uma mulher de fé, vivemos numa cidade conservadora. É mau dizer isto, mas parece que senti que tinha de escolher entre o meu filho e a fé”, confessou à CBS News. Depois de falar com outras mães na mesma situação, Sara renasceu. Daí a lançar o livro “Como dormimos de noite: memórias de uma mãe”, para ajudar outras mães que lutam para aceitar os filhos gay, foi apenas um passo.

Entretanto, chegou até a participar, com o marido, numa parada de orgulho LGBT, em Oklahoma. “Foi a minha primeira interação com essa comunidade, da qual eu estava tão alienada por ignorância e medo. E percebi que era uma comunidade linda”, garantiu.

Não será, por isso, de admirar que a americana tenha sido ordenada para celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Na preparação das cerimónias, apercebeu-se de que muitos casais hesitavam em convidar os pais, que não olhavam com bons olhos para os relacionamentos. Daí ter usado o Facebook para se apresentar como uma verdadeira substituta de mães.

E nem o ator Ashton Kutcher ficou indiferente à publicação de Sara Cunningham. Haja amor e supermães como esta.

Her post has inspired people all over the world to be "stand-in” relatives

Publicado por Ashton Kutcher em Sábado, 28 de julho de 2018