Os miúdos não desligam da tecnologia. E agora?

Querem estar sempre ligados. Têm a tecnologia e o mundo online à mão, no bolso, em qualquer lugar – até à mesa das refeições e na sala de aula, se puderem. O equilíbrio não é fácil e tem estado em debate em livros dedicados ao tema. Quais são os riscos e como devem os pais e a escola lidar com o fenómeno? No próximo dia 5 de maio, no Grande Auditório do ISCTE, em Lisboa, vamos falar destas e outras questões com os nossos convidados na conferência Retratos de Família, da Notícias Magazine: «Há tecnologia a mais na vida dos nossos filhos?»

Texto Cláudia Pinto | Ilustração Sérgio Condeço/WHO

Que geração é esta que não desliga? «É uma geração muito familiarizada com a tecnologia e com a internet e que ao prescindir de determinadas atividades de lazer e de equipa que implicam estar com pessoas, e de desenvolver competências pessoais, relacionais e sociais, corre o risco de não conseguir desligar e de, ao longo do tempo, ter jovens adultos e adultos que não socializaram, não desenvolveram um projeto de vida, que não estudam nem trabalham, que deixaram a escola, que não conseguem arranjar um projeto de empregabilidade, não conseguindo cortar com o cordão umbilical no sentido da autonomia.

«Temos muitos jovens com mais de 20 anos, neste registo», explica Ivone Patrão, psicóloga clínica, terapeuta familiar e do casal, docente universitária, investigadora no Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA) e autora do livro Geração Cordão, editado pela Practor e lançado em março último.

Depois de seguir uma linha de investigação nesta área e de receber casos de dependências online nas suas consultas, tanto ao nível público como privado, sentiu necessidade de escrever este livro. Também Rosário Carmona e Costa, psicóloga clínica, sentiu que era altura de compilar algumas informações úteis a pais e educadores.

A autora do i-Agora, lançado pela Esfera dos Livros, em abril, revela que «por mais palestras, conferências, sessões a pais que desse acerca da utilização excessiva e desadequada das novas tecnologias, as perguntas permaneciam as mesmas, o alerta permanecia baixo e a única coisa que estava a aumentar era o número de casos que recebia em clínica direta ou indiretamente relacionados com a utilização excessiva de ecrãs».

Leia o artigo na íntegra aqui.

No próximo dia 5 de maio, no Grande Auditório do ISCTE, em Lisboa, vamos falar destas e outras questões com os nossos convidados na conferência Retratos de Família, da Notícias Magazine: «Há tecnologia a mais na vida dos nossos filhos?»

Teremos debates, apresentações, palestras, dúvidas e muita reflexão com o jornalista brasileiro Marcos Piangers, o pediatra Paulo Oom, a jornalista e socióloga Ana Cardoso e o youtuber Nuno Agonia.

A entrada é gratuita. Pode inscrever-se e consultar o programa da conferência AQUI.