Os 5 melhores exercícios segundo Harvard (e a corrida não é um deles)

Os prós: correr acalma, mantém-nos na linha, fortalece músculos, ossos, coração e cérebro. Os contras: correr longas distâncias compromete o sistema digestivo e as articulações. E assim chegamos aos cinco exercícios que Harvard considera serem os melhores para nos deixar em grande forma, com saúde.

Texto NM | Fotografias da Shutterstock

NATAÇÃO

A haver um exercício perfeito, segundo Harvard, seria este, já que eleva a frequência cardíaca, melhora a saúde do coração, protege o cérebro contra a deterioração causada pela idade, diminui o stress, eleva os ânimos, fortalece os músculos das pernas e das costas. Ainda assim, a natação é tanto mais eficaz se for adaptada a cada praticante e combinada com um trabalho de impacto e de força. E aqui entra o exercício seguinte.

TREINO DE FORÇA

Muita gente torce o nariz só de ouvir falar em musculação, porém os benefícios não deixam margem para dúvidas quanto à prática: ativa o metabolismo, melhora a força muscular e previne lesões, dores nas costas e excesso de peso; aumenta o bem-estar físico, emocional e a tolerância à glucose, protegendo contra a diabetes tipo 2. Claro que isto não significa ir a correr para o ginásio imitar o Rambo, ou lá se vai a saúde. O segredo (como em tudo na vida) é saber trabalhar a força com moderação.

TAI CHI

Para I-Min Lee, professora de Medicina e Epidemiologia da Faculdade de Medicina de Harvard, nos EUA, o tai chi é do melhor para equilibrar o corpo e a mente, dado tratar-se de uma arte marcial chinesa que combina respiração profunda com movimentos lentos e consistentes. Estudos recentes sublinham ainda os efeitos de rejuvenescimento do tai chi chuan, uma vez que a prática diminui a pressão sanguínea, fortalece os músculos e o sistema imunológico, estimula a circulação, irriga as articulações e promove a calma mental.

CAMINHADAS

Estamos fartos de ouvir falar dos benefícios de se caminhar 30 minutos por dia e o que é facto é que os cientistas de Harvard subscrevem: reduz a pressão arterial, previne inflamações das vias respiratórias, combate a osteoporose, retarda o envelhecimento, regula o sono, acelera o metabolismo, controla o apetite e mantém depressões à distância. Só vantagens, portanto.

EXERCÍCIOS KEGEL

Criados na década de 1940 pelo ginecologista norte-americano Arnold Kegel, os exercícios Kegel destinam-se a muscular o pavimento pélvico e assegurar que o esfíncter urinário é suficientemente forte para evitar perdas de urina, muito comuns em mulheres que dão à luz. Também os homens ganham em fazê-los, sabendo-se que a partir dos 50 anos metade já terá algum problema de próstata, além de dificuldades relacionadas com a sua sexualidade. A forma correta de fazê-los, diz Harvard, é comprimir os músculos usados para segurar a urina durante dois ou três segundos, soltar e repetir 10 vezes, quatro a cinco vezes por dia.