Sexo: os conselhos mais bizarros de sempre de um manual com 300 anos

Desde grávidas desejosas de comer carne de cavalo e de homem (muito sugestivo) até bebés monstruosos nascidos da cópula com animais (outra coisa igualmente palpitante), percebe-se bem a razão por que este manual de sexo esteve banido quase desde que apareceu.

Texto NM | Fotografias da Hansons Auctioneers

A haver um desejo transversal no mundo inteiro seria o de conhecer todos os segredos do sexo. E isso, justamente, é o que propõe revelar um manual de 300 anos, leiloado em Inglaterra no final de março, escrito por um inglês desconhecido que assina Aristóteles – como o filósofo grego, mas menos entendido na matéria do que ele a avaliar por este Aristotle’s Masterpiece Completed In Two Parts, The First Containing The Secrets Of Generation (algo como A Obra-Prima de Aristóteles em Duas Partes, Contendo a Primeira os Segredos da Procriação).

São muito poucas as ideias corretas, incluindo a de que um hímen rasgado não significa que a mulher já não seja virgem.

De facto, são muito poucas as ideias corretas, incluindo a de que um hímen rasgado não significa que a mulher já não seja virgem. Tudo o resto é uma espécie de Kama Sutra inglês moderno, recheado de ilustrações e sugestões pouco recomendáveis (não tente nenhuma em casa), que propõe aos casais «revigorar os seus desejos mútuos e fazer arder as respetivas chamas com um ardor mais forte» depois de lê-lo.

Segundo Jim Spencer, avaliador de livros e manuscritos da leiloeira inglesa Hansons Auctioneers, que vendeu o manual, «a primeira edição deste livro foi publicada em 1684 e logo banida até aos anos 1960».

Acrescentos foram sendo feitos ao original pelas mesmas mãos ou outras (ninguém sabe afirmá-lo com precisão), até que em 1720 viu a luz do dia tal como se conhece hoje. E toda esta irreverência numa época da história em que as mulheres ainda eram queimadas por bruxaria.

«Quando elas lançam os olhos sobre corpos doentes, a força da imaginação pode produzir uma criança com lábios cabeludos ou a boca retorcida.»

«Quando elas lançam os olhos sobre corpos doentes, a força da imaginação pode produzir uma criança com lábios cabeludos ou a boca retorcida», avisa a Obra-Prima de Aristóteles. Nada que não se resolva se a mulher encarar o marido durante o sexo, focando-se nele para que o bebé tenha a aparência do pai. Já o homem, «quando fizer o que a natureza pede, deve ter o cuidado de não se desenvencilhar muito cedo do aconchego da mulher».

Uma coisa é certa: se quiser saber porque é que mulheres de imaginação forte dão à luz crianças defeituosas – ou, já agora, que comer aves canoras é o segredo para revitalizar a semente do homem – vai mesmo ter de espreitar a fotogaleria. Afinal, este foi dos primeiros e mais bem-sucedidos guias sexuais do ocidente. Alguma coisa terá para nos ensinar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.