A luta de Carlos para encontrar a Nicole certa

Texto de Filomena Abreu

Aconteceu na Universidade de Calgary, no Canadá. Carlos Zetina conheceu a Nicole T. na cantina da instituição de ensino. Depois de conversarem sobre filosofia ele anotou o número dela, no sentido de se voltarem a encontrar, mas algo correu mal. Com o contacto errado a busca pela Nicole dos seus sonhos tornou-se quase uma missão que o estudante levou até ao fim.

Deu-se conta que algo não estava bem depois de ter enviado mensagem para o tal número. Pessoa errada. A partir daí, começou a elaborar um plano para achar a Nicole entre as 30 mil estudantes do Campus. Mas teve a ajuda do correio eletrónico da universidade, uma vez que foi assim que conseguiu filtrar todas as direções das mulheres chamadas: Nicole, Nicky, Nikki, Nicolette e Nik. No fim tinha uma lista de 246.

Foi assim que alunas, professoras, investigadoras, trabalhadoras e administrativas receberam um email com o seguinte título: “Conheci-te à noite e enganaste-te ao dar-me o teu número”. Porém, Zetina não queria que a amiga Nicole, que tanto o tinha encantado, se sentisse constrangida. Assim esclareceu na mensagem de texto: “Olá. Este é um e-mail massivo para todas as Nicole. Se és da Holanda e pensas que Nietzsche é deprimente, podes enviar-me uma mensagem de texto. Se não encaixas com a descrição, então ignora esta mensagem. E se és a pessoa que eu procuro e não queres falar comigo, também não há problema”.

O estudante juntou os seus dados, mas cometeu um erro. Todas as Nicole contactadas puderam ver as restantes pessoas a quem o jovem tinha enviado o e-mail. Comovidas pela história, começaram a comunicar entre elas. Criaram um grupo no Facebook e nessa mesma noite encontraram-se para se conhecer e começar a delinear um plano para ajudar Zetina.

Só que a verdadeira Nicole nunca recebeu o e-mail. A Holandesa acabou por entrar em contacto com o grupo depois de uma amiga tomar conhecimento da história e de lhe informar que tinha causado alvoroço no Campus.

A jovem estava a fazer um intercâmbio na Universidade e por isso não tinha conta na plataforma de correio eletrónico da instituição. A estudante garantiu que quis dar a Zetina o número verdadeiro de telemóvel, mas que teria sido ele a anotar mal o contacto. Ao que parece, depois do episódio, os estudantes acabaram por entrar em contacto e atualmente são só amigos. No entanto, graças à história, nasceu o Club das Nicole da Universidade de Calgary. Um grupo seletivo que se reúne uma vez por mês.