O fim do mito: as ressacas não pioram com a idade

As noitadas com álcool em excesso muitas vezes resultam em ressacas que parecem durar dias. Se, quando somos mais jovens, aguentamos sair à quinta-feira, sexta e sábado, com a idade, um copo a mais pode ficar a doer-nos durante todo o fim de semana. É tido como certo que as ressacas vão piorando com a idade. Mas será que é mesmo assim?

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografia Shutterstock

Não, a ressaca não vai piorando com a idade. Quem nunca acordou com a sensação de que lhe passou um camião por cima, com uma dor de cabeça infernal e sem conseguir comer nada? A primeira frase que lhe vem à cabeça é que já não tem idade para noitadas de copos, não é? Beber de mais não é a prática mais saudável, mas quem nunca? A novidade é que parece que a idade não afeta a resistência à bebida.

O que acontece é que a ingestão de produtos tóxicos como o etanol, constante nas bebidas alcoólicas, misturado com os componentes que o metabolismo liberta ao bebê-las, causa inflamação dos tecidos e grande desidratação.

Os jovens têm mais propensão para ficar com ressaca dada a quantidade descontrolada de álcool que tendem a ingerir.

Estes sintomas são reais, mas não vão piorando com a idade. Um estudo publicado na Alcoholism: Clinical & Experimental Research e citado no El Español sugere mesmo o oposto. Foram inquiridas mais de 50 mil pessoas, com idades compreendidas entre 18 e 94 anos, e os resultados mostram que os jovens têm mais propensão para ficar com ressaca dada a quantidade descontrolada de álcool que tendem a ingerir. Com a idade aprendemos a moderar o consumo e a saber o que podemos, ou não, beber. A moderação é o fator-chave para que as pessoas mais velhas estejam menos vezes de ressaca.

Ainda que a ressaca não piore com a idade, o que acontece é que a frequência com que ingerimos álcool vai diminuindo à medida que envelhecemos, o que reduz igualmente a tolerância do corpo ao álcool.

A mesma bebida pode causar uma intoxicação maior consoante a gordura acumulada no corpo

Para Lara Ray, investigadora da Universidade da Califórnia que estuda o alcoolismo, «se não bebe há semanas ou meses, é natural que o corpo esteja menos tolerante ao álcool. Neste caso, não tem tanto a ver com ter 40 anos, mas com o seu historial de bebida».

Lara Ray aponta ainda outro fator. À medida que envelhecemos, o músculo do corpo vai sendo substituído por gordura. «A mesma bebida pode causar uma intoxicação maior consoante a gordura acumulada no corpo», defende a investigadora que sugere algumas medidas para evitar a ressaca, independentemente da idade:

  • Ingerir água ao mesmo para evitar a desidratação
  • Beber devagar e fazer intervalos
  • Evitar as misturas e comer devidamente

Mas a verdade é que a ressaca não tem cura, por isso, o melhor mesmo é beber com moderação.