Economia doméstica: 10 dicas para poupar em toda a linha

Ordem em casa porque o orçamento não estica. É preciso organização e disciplina, fazer uma lista de rendimentos e despesas. Distribuir o dinheiro tem a sua ciência, até porque há imprevistos que podem dar a volta às contas.

Texto NM

Equilíbrio e realismo são duas premissas fundamentais na elaboração do orçamento familiar. Pés assentes na terra, portanto. Há um rendimento, há despesas fixas que devem ser acauteladas em primeiro lugar, há outros gastos que variam e ainda há imprevistos que podem abalar o melhor dos orçamentos.

Economia doméstica é saber governar uma casa, pagar o que tem de ser pago todos os meses – prestação da casa, contas da luz, do gás, da água, mais a alimentação -, definir o que será gasto no vestuário, calçado, reparações, e outras despesas circunstanciais, precaver alguma surpresa, e poupar, se possível. Para isso, é preciso distribuir e gerir o que se tem da melhor maneira possível.

Veja alguns conselhos na fotogaleria que se segue.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.