Dificuldades em acordar cedo? Não deveria ser forçado a fazer madrugadas

Novo estudo indica que os chamados «morcegos» têm maior risco de morrer comparando com os madrugadores. As pessoas que não gostam de acordar cedo tem taxas mais altas no que diz respeito a diabetes, distúrbios psicológicos ou doenças neurológicas.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia Shutterstock

Os notívagos têm maior risco de morrer, taxas mais altas de diabetes, doenças neurológicas, distúrbios psicológicos e adaptam-se mais dificilmente às mudanças de horários. Esta é a conclusão de um estudo elaborado pela Biobank e pelos investigadores Kristen L. Knutson, da Universidade Northwestern, em Chicago, e Malcolm von Schantz, professor da Universidade de Surrey, no Reino Unido.

O estudo, publicado na revista Chronobiology International, e que contou com a participação de quase 500 mil participantes com idades compreendidas entre os 38 e os 73 anos, mostra a taxa de mortalidade das «corujas noturnas» é 10% maior em comparação com as «cotovias matinais».

«Temos que discutir a possibilidade de permitir que as pessoas mais noturnas iniciem e terminem o trabalho mais tarde»

«Esta é uma questão de saúde pública que não pode ser ignorada», alerta Malcom von Schantz, citado pelo NewsWeek, acrescentando: «há relatos de maior incidência de ataques cardíacos depois da mudança para o horário de verão».

«Temos que discutir a possibilidade de permitir que as pessoas mais noturnas iniciem e terminem o trabalho mais tarde», reforçou ainda o professor universitário.

Kristin Knutson, professora de neurologia da Universidade de Northwestern, sublinha a tese de Schantz, afirmando que «as corujas» não deviam ser forçadas a levantar-se cedo para cumprir o turno das oito da manhã.

Há esperança para as pessoas que gostam de acordar mais tarde, nomeadamente ir para a cama sempre à mesma hora e evitar atividades antes de ir trabalhar.

Das 433 mil pessoas entrevistadas – e acompanhadas durante seis anos – 27% disseram que eram «madrugadores», 35% considerou-se «moderadamente madrugador», enquanto 28% assegurou ser «moderadamente noturno» e 9% «noturno».

A especialista indica, no entanto, que há esperança para as pessoas que gostam de acordar mais tarde, nomeadamente ir para a cama sempre à mesma hora e evitar atividades antes de ir trabalhar.

Tenho problemas em adormecer: o que faço?

De um modo geral, os adultos precisam de sete a nove horas de sono, sendo que cerca de 30 minutos a menos pode torná-lo logo pouco produtivo ou mais temperamental.

Há uma série de práticas que pode adotar caso tenha dificuldades em adormecer. De acordo com a National Sleep Foundation, organização dos Estados Unidos, deve evitar beber cafeína, desligar computadores e telemóveis, não beber álcool antes de adormecer e regularizar ao máximo o seu sono.

Veja nesta fotogaleria cinco dicas para adormecer mais depressa.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.