Dia Mundial da Asma: quanto custa ser asmático em Portugal?

Afeta cerca de 700 mil portugueses e cerca de 43% não sabe controlar a doença crónica. O Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde indica que o controlo da asma poderia traduzir-se numa poupança de cerca de 184 milhões de euros por ano.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia ShutterStock

Nove em cada 10 doentes com asma não controlada têm uma perceção errada do estado de controlo da doença levando, em alguns casos, à agudização da mesma, à necessidade de internamento ou ao absentismo escolar e laboral.

Em Portugal, há pelo menos 700 mil doentes asmáticos, sendo que do total, 175 mil são crianças e adolescentes. No entanto, vários estudos indicam que mais de 50% da população em idade pediátrica não tem a asma controlada. Nos adultos, estimam-se 43%.

A asma pode manifestar-se através de inflamações que podem condicionar a respiração, de pieira (ruído que se ouve ao respirar) e ainda de aperto torácico.

«Sabe-se, pelo Inquérito Nacional sobre o Controlo da Asma em Portugal, que apenas 57% das pessoas com asma têm a doença controlada, ou seja, cerca de 300 mil portugueses com asma necessitam melhorar a intervenção para o controlo da doença», pode ler-se num boletim da Direção-Geral de Saúde, divulgado em fevereiro último.

No mesmo documento, pode ler-se que em Portugal apurou-se que as pessoas com a asma menos controlada caracterizam-se por «serem de classes socioeconómicas mais desfavorecidas, terem menor grau de escolaridade, serem de idade pediátrica ou idosos e terem um índice de massa corporal aumentado».

Este descontrolo tem custos elevados. De acordo com os dados de um estudo do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), o «aumento do controlo da asma permitiria uma poupança de cerca de 184 milhões de euros por ano em Portugal, o que representaria uma redução de 20% na despesa global com a doença».

Para assinalar o Dia Mundial da Asma esta terça-feira, 1 de maio, é lançada a campanha «Que a Asma não te Pare»

Os investigadores do estudo calcularam que a asma pode custar 547 milhões de euros por ano, sendo que cada doente gasta em média 761,58 euros.

A asma pode manifestar-se através de inflamações que podem condicionar a respiração, da pieira (ruído que se ouve ao respirar) e ainda pelo aperto torácico.

Os ácaros, pólen e alimentação podem ter grande influência no aparecimento de crises asmáticas, bem como o fumo do tabaco, a poluição atmosférica ou a prática de exercício físico intenso.

Para assinalar o Dia Mundial da Asma esta terça-feira, 1 de maio, é lançada a campanha «Que a Asma não te Pare», com o Vitinho como protagonista.

A ação de sensibilização da Mundipharma tem o apoio da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, da Sociedade Portuguesa de Alergologia Pediátrica, da Fundação Portuguesa do Pulmão, da Associação Portuguesa de Asmáticos e do Grupo de Trabalho de Problemas Respiratórios da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar.

Está também em curso a campanha «Vencer a Asma». Através do site desta ação pode testar o seu controlo sobre a doença. Veja aqui.

Percorra a fotogaleria e conheça alguns mitos relacionados com a asma.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.