Desempregado e sem dinheiro devolve carteira recheada

Texto de Ana Sofia Reis

Walter Hudson dos Santos, de 47 anos, é motorista, mas está desempregado há três anos. Nesta segunda-feira, foi ao banco, em Brasília (Brasil), pedir um empréstimo para pagar as contas que tinha em atraso. Após o pedido ter sido recusado, ao sair do edifício, encontrou uma carteira no chão que, além de cheques e cartões de crédito, tinha quase 800 euros. “Peguei nela e, como não encontrei o dono, saí para o descobrir”, contou o motorista desempregado.

Resolveu pedir ajuda à polícia. Os agentes descobriram que pertencia a um outro elemento da autoridade, já reformado, que também havia ido ao banco. “Tinha conseguido esse dinheiro com os meus irmãos. Uma vez que estava a passar por uma situação financeira complicada fiquei muito triste com o valor que tinha perdido”, relatou José Pedro da Silva, o dono da carteira. “Esta atitude renovou a minha esperança. Gostava que os novos políticos se inspirassem nestas pessoas, que são um exemplo a seguir”, rematou.

Walter, por seu turno, em momento algum pensou usar o dinheiro em benefício próprio, mesmo depois da desilusão pelo empréstimo ter sido recusado: “Um grande homem ensinou-me que podem chamar-me o que quiserem menos ladrão. Guardo isso no meu coração para sempre.” Na esquadra, o homem contou a sua história – está sem emprego e a passar por dificuldades financeiras – e foi elogiado pela atitude. Rendidos ao gesto, os agentes proporcionaram-lhe um encontro com o reformado.

Walter e José Pedro viram-se pela primeira vez no local combinado e logo o polícia aposentado abraçou o homem que lhe devolveu a carteira com o dinheiro. Pela boa ação, José Pedro ofereceu a Walter 100 euros, valor usado pelo herói para comprar comida, gás e medicamentos para a mãe. “Vale sempre a pena ser honesto”, conclui Walter.