Conselhos que deve seguir para não ter um ataque cardíaco enquanto faz desporto

Um cardiologista francês lançou um livro para atletas (e não só) que podem estar a fazer demasiados erros e, por isso, estar a contribuir para terem um ataque cardíaco. Há uma lista de conselhos inscritos na obra sobre como ter um ataque cardíaco. «Fume antes de uma atividade física» ou «dope-se» são apenas alguns deles.

Texto de Alexandra Pedro | Fotografia Shutterstock

«Uma atividade física bem feita diminui o risco cardiovascular, uma mal feita aumenta consideravelmente esse risco». Esta é a premissa do livro de Fabien Guez, um cardiologista francês que decidiu enumerar uma série de fatores que o podem levar a ter um ataque cardíaco.

No livro Como Não Ter Um Ataque Cardíaco, o especialista reúne questionários, riscos e comportamentos errados das pessoas. O tabaco, o excesso de peso, o álcool e o sexo são alguns dos temas abordados pelo médico francês, que associa todos esses fatores aos acidentes cardiovasculares.

«Em 10 pessoas que praticam desporto, cinco não praticam o desporto adaptado ao seu perfil; das cinco que praticam o desporto adequado, quatro praticam-no mal».

Na obra, que se apresenta como «um guia fundamental para viver até aos 99 anos (pelo menos)», o autor adverte o leitor que «não se esqueça destas palavras: “no meio é que está a virtude”. Assim, nem de mais, nem de menos. Não passe de um extremo ao outro. Não corte completamente com o queijo se tem colesterol alto, mas coma menos; faça exercício físico moderada e regularmente; stresse um pouco, isso protege-o; faça alguns desvios alimentares de vez em quando e, acima de tudo, divirta-se, porque o prazer é a melhor terapia de todas».

No caso dos atletas, Fabien Guez explica: «em 10 pessoas que praticam desporto, cinco não praticam o desporto adaptado ao seu perfil; das cinco que praticam o desporto adequado, quatro praticam-no mal». Ou seja, «o benefício máximo para a saúde só se concentra numa em cada dez pessoas».

«O desporto não é um capital adquirido, os seus benefícios esbatem-se muito mais depressa do que demoraram a fazer-se sentir».

«O desporto não é um capital adquirido, os seus benefícios esbatem-se muito mais depressa do que demoraram a fazer-se sentir. Costumo comparar o desporto às milhas das companhias aéreas: é preciso voar muito para acumular milhas, mas perdemo-las muito depressa ao utilizá-las. Um campeão de ciclismo francês que suspenda toda a atividade desportiva terá, ao fim de dois anos, quase o mesmo coração que um sedentário», pode ler-se no livro do especialista.

É neste sentido, para esclarecer algumas questões sobre a relação entre o coração e o desporto, que Fabien Guez elaborou uma lista de 13 «conselhos para o desportista ter um ataque cardíaco». Veja o que diz o autor na fotogaleria em cima:

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.