Conheceu alguém online? 8 dicas para ficar seguro nos primeiros encontros

É uma realidade dos tempos que correm: fazer amigos online e querer ver se o «frisson» tem pernas para andar também ao vivo. Ainda assim, encontros às cegas podem ser arriscados. E como tal convém prevenir para não ter de remediar depois.

Texto NM | Fotografias da Shutterstock

AVISE UM AMIGO

Tal como os mergulhadores têm a regra de não descerem sozinhos às profundezas pelos riscos que o desconhecido acarreta, nunca deixe de avisar alguém próximo de si do encontro que vai ter, onde, quando e com quem, para que pelo menos uma pessoa saiba do seu paradeiro. Um elemento extra de segurança é pedir-lhe que lhe ligue a dada altura só para confirmar que está tudo a correr bem.

NÃO DETALHE A SUA VIDA

É um cuidado básico sempre que usamos redes sociais, seguindo o mesmo princípio de que não contamos logo tudo sobre nós a pessoas que acabámos de conhecer ao vivo. Por mais afinidades que sinta com aquele desconhecido, por mais horas que tenham conversado na internet, por mais que o idealize, tenha sempre em atenção que coisas más não acontecem apenas aos outros.

ARME-SE EM DETETIVE

Se por um lado não convém fornecer ao outro detalhes acerca do sítio onde estuda/trabalha/mora, horários, rotinas e aspetos demasiado pessoais, por outro é uma ótima ideia fazer um pouco de pesquisa por conta própria nas redes sociais para tentar perceber que locais a pessoa frequenta e como se comporta, comparar perfis, interesses e saber se é (na medida do possível) quem diz ser.

TECNOLOGIA COMO ESCUDO

Após ter pesquisado tudo o que estava ao seu alcance sobre o ilustre desconhecido, esta é mais uma forma de usar a tecnologia a nosso favor numa fase em que todos os cuidados são poucos: o WhatsApp e o Messenger permitem partilhar a sua localização com pessoas à escolha, caso algo se descontrole e não tenha como avisá-las. Também aplicativos como o bSafe entram em contacto com pessoas pré-selecionadas pelo utilizador, com o simples apertar de um botão, se por acaso ele correr perigo.

NADA DE BOLEIAS

O outro até pode oferecer-se para nos apanhar em caminho, porém é sempre melhor ir pelos próprios meios: em primeiro lugar, por muitas conversas que tenha havido online, não sabemos com quem estamos a lidar; em segundo lugar, se algo correr mal, não ficamos dependente de ninguém para regressar a casa. O mesmo se aplica a sermos nós a oferecer (ou a ser-nos pedida) boleia.

CUIDADO COM A BEBIDA

Desde crianças que somos ensinados a não aceitar bebidas de estranhos e esse é um alerta que deve continuar a manter presente – sobretudo se ela já estiver preparada quando chegar ou perder o seu copo de vista durante o encontro. O cuidado com a bebida estende-se ainda à necessidade de ficar sóbrio para manter a carteira (nomeadamente cartões de identificação e crédito) debaixo de olho.

LOCAL MOVIMENTADO

Sim, há quem minta sobre a sua identidade ou doure a pílula online. E até saber quem tem à frente, é preferível cingir o encontro a um sítio público com bastante gente à volta por uma questão de segurança. Mesmo que o objetivo seja de cariz sexual (perfeitamente legítimo), o que pressupõe um lugar mais intimista para se conhecerem, insista sempre em espaços movimentados para começar.

TENHA UM PLANO B

Se durante o encontro houver algum comportamento que o deixe desconfortável ou não for à bola com a cara da pessoa, jogue pelo seguro, despeça-se e saia dali sem receio de parecer paranoico: afinal, fartamo-nos de ver nas notícias que coisas más acontecem quando menos esperamos. Terá tempo para facilitar mais tarde, se se der o caso de virem a conhecer-se melhor no futuro.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.