Cinco casos de crimes passionais que chocaram o país

Rui Oliveira/Global Imagens

Depois de 39 dias desaparecido, o triatleta Luís Grilo foi encontrado morto a 24 de agosto, perto de Vila Franca de Xira, com um manto de suspeitas a envolver o crime. Já esta semana, o caso conheceu novos desenvolvimentos: Rosa Grilo, que era esposa de Luís, e António Félix Joaquim, que seria amante de Rosa, foram detidos, por suspeitas de homicídio. Tudo aponta para que quisessem ficar com o seguro de vida de Luís Grilo, alterado dias antes. Recorde aqui outros casos de crimes passionais que ocorreram em Portugal.

Mata a namorada com dezenas de facadas

Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

Em março deste ano, o corpo de uma mulher de 29 anos foi encontrado no Fundão, com vestígios de dezenas de facadas. O alerta dado pelo filho, de apenas cinco anos. O crime acabaria por ser confessado por João Silva, namorado da vítima, depois de ter sido confrontado com os ferimentos que tinha nas mãos (resultado dos golpes desferidos). Segundo o próprio, o crime terá ocorrido porque Vera Lopes, a vítima, insistia em manter uma relação que durava há quase três anos. Vera deixou três filhos.

Degola mulher e deixa carta a dizer que a ama

Em novembro de 2017, nas Caldas da Rainha, um comerciante de 38 anos, ex-comando, degolou a mulher, de 36, com uma faca de cozinha. Depois do crime, ocorrido na casa que partilhavam, tentou suicidar-se, desferindo várias facadas no corpo. Antes disso, deixou uma carta, onde jurou gostar da mulher e dos filhos. Ela foi encontrada morta, ele foi levado para o hospital, em estado grave. Em julho deste ano, Claude Inácio foi condenado a 20 anos de prisão.

Manda regar namorada com ácido

Pedro Rocha

Em maio de 2017, em Alvor (Portimão), a vítima foi uma inglesa, de 29 anos. Eleanor Chessel foi regada com ácido, tendo sofrido queimaduras em cerca de 60% do corpo e ficado internada mais de um mês. Cláudio Gouveia, o ex-namorado, foi condenado a 12 anos de cadeia por agredir a antiga companheira e ter ordenado o ataque. O crime foi executado por um amigo de Cláudio, que assumiu ter recebido ordens para regar a vítima com um líquido, mas garantiu não saber que se tratava de ácido.

Descoberta macabra nas Termas de São Vicente

Júlio Lobo Pimentel/Global Imagens

As Termas de São Vicente, em Penafiel, também foram abaladas por um crime passional. Em julho do ano passado, Rosa Teixeira estranhou não ver o irmão e a cunhada há três dias e decidiu ir a casa do casal. Quando lá chegou, encontrou a cunhada, Maria de Fátima, com vários hematomas no corpo, coberta por um lençol, na cama do casal. Mais tarde, já com a ajuda da GNR e dos bombeiros, foi encontrado o irmão, Luís Teixeira, enforcado na árvore de um monte nas redondezas. O dia a dia do casal era marcado pelos problemas de dependência do álcool e pelos casos de violência doméstica.

Horas de tensão em Miguel Bombarda

Rui Oliveira/Global Imagens

Em 2016, num hostel da Rua de Miguel Bombarda, no Porto, não chegou a haver vítimas, mas o aparato foi grande. Tudo porque um homem, de 32 anos, atirou, de raspão, sobre a companheira, de 41, e um homem de 51 que se encontrava com ela. Em causa, suspeitas de infidelidade e desamores. O atirador barricou-se depois, durante quase duas horas, no interior da guesthouse, acabando por se entregar à polícia. Enquanto isso, dezenas de pessoas aglomeraram-se nas ruas contíguas à Miguel Bombarda.