OPINIÃO

Sea3P0 ensina como ser um unicórnio para derrotar o bullying

Os vídeos que Catarina Lowndes faz semanalmente para o YouTube não abordam o bullying, mesmo que seja esse o tema de muitas conversas entre os seus seguidores em clubes de fãs no Instagram.

Texto de Catarina Fernandes Martins

O alter-ego criado pela maior youtuber feminina em Portugal, Sea3P0 (uma referência ao robot da saga Guerra das Estrelas e uma alusão ao mar devido à cor azul do cabelo de Catarina), apresenta receitas de piza ou lasanha feitas no micro-ondas, novos produtos como jogos e brinquedos ou relatos das aventuras vividas por Catarina na sua vida offline porque a jovem de 27 anos diz-se uma eterna «Peter Pan», que não cresce, continua a gostar de brinquedos e que, acima de tudo, gosta de fazer «as pessoas sorrir».

O bullying, diz, «é um tema muito sensível» e Catarina está ainda «a tentar encontrar as palavras mais corretas» para abordar a questão em vídeo. Mas as palavras surgiram mais facilmente na forma escrita para o livro Como Ser um Unicórnio, que chega às livrarias no dia 17 de janeiro, pela editora Manuscrito. O livro, assinado por Sea3P0, conta a história de um unicórnio, o Bola de Neve Magistral, que por ter o corno partido é alvo de humilhações por parte dos cavalos que com ele vivem.

Sea3P0 saltou do YouTube para as páginas do livro para ajudar o unicórnio Bola de Neve Magistral a ultrapassar o bullying feito por outros cavalos e a descobrir que o importante é acreditar em si mesmo.

«Numa quinta de relvados verdejantes, viviam a Regina, a Inny, a Patty e o Gary, os cavalos que todos os animais da quinta invejavam! Tinham crinas luxuriantes, pelo sedoso, os melhores cascos do mundo e, claro, não tinham paciência para losers», pode ler-se na nota enviada pela editora para as redações.

Sea3P0 saltou do YouTube para as páginas do livro para ajudar o unicórnio Bola de Neve Magistral a ultrapassar o bullying feito por outros cavalos e a descobrir que o importante é acreditar em si mesmo. A ideia partiu da editora Manuscrito, que viu na temática do bullying e nos 580 mil subscritores de Sea3P0 no Youtube uma boa aposta comercial e propôs a Catarina que escrevesse um livro.

A tendência dos livros escritos por YouTubers está a ser adotada por várias editoras, mas a Manuscrito reclama ter sido pioneira em Portugal. «Penso que foi a nossa editora que começou com isto ao pedir ao Feromonas, o português com mais subscritores no YouTube (conta atualmente com mais de 3 milhões de subscritores). Os youtubers são fenómenos de popularidade e os miúdos adoram. Tem sido uma boa aposta porque as crianças deixam-se influenciar por eles e têm interesse em comprar o livro», diz fonte da editora.

«Estou feliz por ter tido uma história de bullying»

A consciência de Catarina Lowndes em torno da temática do bullying não surge apenas dos desabafos que vai lendo dos fãs, mas da própria experiência enquanto vítima durante o ensino secundário.

Catarina estudou numa escola internacional até ao 10.º ano, altura em que se transferiu para o Colégio Amor de Deus, onde começou a ser julgada por falar mal português, hábito que ganhou durante os primeiros anos de educação, em que conviveu com pessoas de todo o mundo, deixando que o inglês se tornasse a sua primeira língua. A juntar a isso, Catarina tinha um estilo diferente do dos restantes colegas, vestindo calças justas quando ainda ninguém o fazia, diz. O gozo era geral.

«Uma rapariga fez-me a vida num inferno, ligava para minha casa a assediar-me e aos meus pais. Até os professores gozavam comigo, o que legitimou que os estudantes o fizessem também. Fiquei com uma depressão enorme e nem me apercebi disso», diz.

Mas a família de Catarina apercebeu-se do que se passava e procuraram apoio profissional, que foi indispensável para a jovem ultrapassar essa fase.

«Quando há situações mais complicadas e as pessoas estão mesmo mal e me procuram, digo-lhes para falarem com os pais ou com um terapeuta, lembrando que não sou profissional»

Por isso mesmo, quando os fãs de Sea3P0 relatam situações de bullying e assédio nos grupos de fãs criados em torno desta personagem, Catarina procura ter cuidado, limitando-se a dar palavras de força. Se recebe um e-mail revelador de casos mais complexos, a youtuber aconselha acompanhamento profissional.

«Tenho uma comunidade espetacular no Instagram que funciona como um grupo de apoio em que os fãs se ajudam uns aos outros e dão força quando alguém está num momento de baixa autoestima. Eu vou lá dizer ‘bom dia’, ‘boa dar tudo hoje’ ou lembrar que conseguimos fazer o que quisermos com a nossa vida, mas quando há situações mais complicadas e as pessoas estão mesmo mal e me procuram, digo-lhes para falarem com os pais ou com um terapeuta, lembrando que não sou profissional», diz.

A maior parte dos seguidores de Sea3P0 pertence às gerações Y (nascidos entre 1980 e 1996) e Gerações Z (nascidos entre 1996 e 2010), que dominam a internet e que têm menos pudor do que as gerações anteriores em tornarem públicos os seus problemas.

Apesar da cautela que sente ser necessária ao abordar o assunto, Catarina diz não ter qualquer pudor em partilhar a sua própria história de bullying, já o tendo feito por diversas vezes com alguns fãs.

O à vontade para expor experiências traumáticas não é exclusivo de Catarina. Além dos quase 600 mil subscritores no YouTube, Sea3P0 tem 267 mil seguidores no Instagram, 18 mil no Facebook e 69 mil no Twitter. A maior parte desses seguidores pertence às gerações Y (nascidos entre 1980 e 1996) e Gerações Z (nascidos entre 1996 e 2010), que dominam a internet e que de uma forma geral têm menos pudor do que as gerações anteriores em tornarem públicos os seus problemas. O que explica os clubes de fãs de redes sociais transformados em redes de apoio.

A necessidade da entreajuda para encontrar soluções que permitam ultrapassar experiências de bullying é uma das mensagens que Catarina Lowndes espera passar com o livro Como Ser um Unicórnio.

«Estamos num momento muito específico na história em que perdemos o medo de falar sobre o que nos afeta porque na internet estão disponíveis todas as informações, perspetivas e respostas, dando-nos liberdade e mostrando-nos que não estamos sozinhos», diz a youtuber.

A necessidade da entreajuda para encontrar soluções que permitam ultrapassar experiências de bullying é uma das mensagens que Catarina Lowndes espera passar com o livro Como Ser um Unicórnio.

«O mais relevante nas histórias de bullying não são as histórias em si, mas as soluções para o ultrapassar. Eu ultrapassei a minha e fiquei muito bem e estou feliz que tenha acontecido porque se não tivesse sido assim eu não teria capacidade de lidar com os problemas e com a vida como lido hoje. O Bola de Neve Magistral aprende o mesmo no fim do livro. Ele consegue ultrapassar com ajuda dos outros e não tem vontade de se vingar. Ele acaba por encontrar a magia que tem dentro dele.»

Quem é Catarina Lowndes?

Aos 27 anos, Catarina Lowndes é influencer e a maior youtuber feminina portuguesa, com mais de 580 mil subscritores. Catarina estudou cinematografia na Universidade de Tampa, nos Estados Unidos. Foi no decorrer do curso que se tornou youtuber para reunir material para a tese de dissertação em Antropologia Cultural sobre subculturas. Catarina interessou-se pela subcultura do youtube e começou um canal de maquilhagem inspirado em Michelle Phan, que conquistou quase 9 milhões de subscritores com os seus vídeos que promovem maquilhagem e ensinam dicas ao contar histórias com leituras mais abrangentes. «Quis ser uma storyteller como ela», diz Catarina Lowndes. De regresso a Portugal, Catarina trabalhou como digital manager numa marca da L’Oréal e entrevistadora para a IGN Portugal, um site de notícias de jogos.