OPINIÃO

António Raminhos: Para ele, só ao soco e pontapé

Há cerca de quatro anos voltou aos treinos, só que desta vez num desporto que mistura técnicas e modalidades. MMA, iniciais de mixed martial arts, junta boxe, luta greco‑romana, kickboxing, golpes de combate em pé e técnicas de luta no chão.

Texto de Sara Dias Oliveira | Fotografia Álvaro Isidoro/Global Imagens

O regresso às artes marciais tem um responsável: João Naré, campeão intercontinental de MMA, que Raminhos conheceu no programa 5 para a Meia ‑Noite (RTP). «Tornou‑se um hobby e um vício», diz o humorista. «É um desporto de combate, mas é uma violência controlada», garante.

«É melhor que sauna, melhor que jacuzzi.»

De quando em vez, porém, sai dos treinos com «as orelhas feitas num oito». Nada que o demova deste passatempo que exige alto nível de concentração. «As artes marciais são um escape, uma forma de relaxar.»

Pratica MMA duas a três vezes por semana, nas horas que a agenda permite, e faz mais algumas sessões em casa quando tem disponibilidade. «É melhor que sauna, melhor que jacuzzi.» E é um desporto flexível. Pode praticar sozinho, a dois ou em grupo. «Também faço ginásio, mas o MMA é complementar a outros desportos.»

O comediante leva o MMA a sério. Lê revistas sobre o assunto, vê vídeos e não tira o olho do que se passa pelo mundo.

O comediante leva o MMA a sério. Lê revistas sobre o assunto, vê vídeos e não tira o olho do que se passa pelo mundo. Quando há combate na televisão, transmitido em direto, programa o despertador para não perder o que se passa na modalidade ao mais alto nível – o que normalmente acontece entre as três e as seis da manhã.

De vez em quando há quem lhe mande a piada e tente aliciá‑lo a entrar numa competição a valer. Os convites não têm sido levados a sério. Para ele, o MMA é um hobby.

DESAFIO DE CAMPEÃO
O humorista pratica mixed martial arts há quatro anos, depois de um encontro com o campeão intercontinental de MMA, João Naré, no programa 5 para a Meia­­ Noite (RTP)