Onde começa a traição?

Fala-se em traição e imaginamos logo encontros às escondidas, sexting, beijos ardentes e casos de uma noite, mas muitos «affairs» acontecem sem sexo incluído. O que delimita a fronteira entre traição e fidelidade? Pensar em fazer algo tem o mesmo peso que passar, de facto, à ação? Estaremos nós a pisar o risco sem sabermos?

Texto NM | Fotografias da Shutterstock

7. SMS PELA NOITE FORA

Mesmo tratando-se de mensagens inofensivas, a maioria de nós vê como ameaça o facto de o parceiro passar a noite a enviar sms a outra pessoa, revela um estudo encomendado pelo jornal online Deseret News à empresa YouGov, líder mundial em pesquisas de mercado baseadas na internet. Então se forem mensagens atiradiças ou românticas, o outro está claramente a trair aos nossos olhos. Em última análise, esta troca de intimidade e sentimentos pressupõe uma necessidade de atenção que não estará a receber de nós, em casa.

6. EMOÇÕES FORTES

Convenhamos: não é preciso estar-se fisicamente envolvido com alguém para ter sentimentos fortes, que o parceiro consideraria inapropriados se soubesse o que lhe vai na alma. Pensa frequentemente numa pessoa? Em como seria se pudesse beijá-la, etc. e tal? Procura-a quando se sente carente, em stress, a querer partilhar algo? Pois pode muito bem estar a ter um caso emocional.

5. JANTARES A DOIS

Sentir-se atraído por uma pessoa que não o parceiro e ir jantar ou tomar um copo a sós com ela, é outro ponto que, não envolvendo sexo, é tido muitas vezes como traição pelo risco que acarreta – a saída pode descambar num envolvimento mais próximo. Claro que não é forçoso haver segundas intenções além de desfrutar de uma boa companhia, mas não se surpreenda se o parceiro ficar inseguro. Na dúvida, ponha-se no lugar dele e tente perceber o que sentiria se fosse ao contrário.

4. SITES DE ENCONTROS

Manter o perfil ativo no Tinder e outras plataformas de encontros parece gritar, com todas as letras, que não se sente suficientemente confiante na atual relação para fechar aquela porta ao futuro. É isso que pensam, pelo menos, 70 por cento das mulheres inquiridas no estudo da YouGov – e a verdade é que não deixam de ter alguma razão ao sentirem-se desconfiadas.

3. PRENDER-SE AOS EX

Manter uma boa relação com o ex é bom, civilizado. Já fazer-se amigo dele nas redes sociais para seguir tudo o que faz – e com quem – é encarado como traição aos olhos do outro, garante quem já passou por isso. Sobretudo se vemos que a pessoa com quem estamos atualmente numa relação continua a sentir ciúmes, raiva, descontrolo ou qualquer outro sinal de que ainda não se libertou da pessoa com quem estava antes de nós.

2. BARES DE STRIP COM AMIGOS

Não tem nada de mal, contudo percebe-se que as mulheres não gostem de imaginar dançarinas sensuais e despidas a roçarem-se nos namorados ou maridos, razão por que 30 por cento vê estas saídas como uma forma de traição da parte deles. Se deliram com estes desvarios, pensam elas, sabe-se lá do que mais serão capazes se tiverem oportunidade.

1. PORNOGRAFIA SEM O PARCEIRO

Falta de interesse do parceiro. Recusa em experimentar coisas novas sexualmente . Falta de intimidade, de toque, de cumplicidade. Sejam quais forem os motivos que levem o parceiro a ver pornografia sozinho, 22 por cento dos inquiridos encara isto como uma traição por considerar que o outro, de certo modo, está a substituir a realidade por uma fantasia que não o inclui.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.