Os 10 melhores filmes para ver este Natal (para além de Star Wars)

Numa época em que se estreiam cada vez mais filmes, é difícil escolher no meio de tanta oferta. Como não queremos que decida à toa, deixamos seis pistas para se orientar no labirinto dos cinemas de Natal. Afinal, há mesmo filmes para todos os gostos.

Seleção Rui Pedro Tendinha

WONDER – ENCANTADOR

De PETER CHBOVSKY
Julia Roberts num dramalhão baseado no bestseller de R.J. Palacio, conta a história de um menino com rosto deformado que pela primeira vez vai começar a estudar numa escola pública. Dizem as boas línguas que estão aqui as mais genuínas lágrimas natalícias. Sônia Braga interpreta a mãe de Julia Roberts num papel secundário. Estreia 7 dezembro.

PADDINGTON 2

De PAUL KING
Cinema infantil para conquistar graúdos. O adorável urso que conquistou gerações está de volta numa sequela que já não tem Nicole Kidman mas que convida Hugh Grant. Um conto infantil que nos mostra a integração de Paddington na comunidade inglesa e na casa dos Brown. Tem tudo para ser o filme deste Natal, sobretudo se ainda acreditarmos em filmes de Natal. Estreia 7 dezembro.

STAR WARS: OS ÚLTIMOS JEDI

De RIAN JOHNSON
Um Natal sem um novo Star Wars já não é Natal cinematográfico. O segundo tomo desta nova vida da mais amada saga de ficção científica pode ser o grande desafio da Disney em relação ao negócio deste franchise. Depois da desilusão nas bilheteiras que foi Liga da Justiça, há quem acredite que este filme apenas será um fenómeno se os fãs aprovarem. Estreia 14 dezembro

FERDINANDO

De CARLOS SALDANHA
Depois de Coco, a aposta da Pixar Disney, a Blue Sky e a Fox avançam com a nova animação do realizador brasileiro Carlos Saldanha, responsável por Rio. História de um touro de bom coração que é capturado por engano e levado para longe da família. Ferdinando é também um piscar de olho de Hollywood ao público hispânico. Estreia 21 dezembro.

UMA MULHER FANTÁSTICA

De SEBASTIÁN LELLO
Uma mulher transgénero em Santiago do Chile dos nossos dias. Luta contra a discriminação, tenta levantar a cabeça e viver com dignidade, mas é atacada e desrespeitada. Este é o filme de Natal para quem não quer levar com filmes de Natal. Nos EUA há quem queira levar a atriz Daniela Vega à nomeação para os Óscares. Seria a primeira vez que uma atriz transgénero era nomeada. Foi aclamado no último festival de Berlim. Estreia 14 dezembro.

CORPO E ALMA

De ILDIKÓ ENYEDI
Sortilégio natalício numa história de amor num matadouro húngaro, com um casal composto por um tímido cinquentão com uma deficiência física e uma jovem com síndrome de Asperger. On Body and Soul venceu o Festival de Berlim e é um dos grandes filmes do ano. Sabe sempre bem ver bom cinema no Natal. Estreia 21 dezembro.

JUMANJI: BEM-VINDOS À SELVA

De JAKE KASDAN
Uma fantasia com efeitos visuais e uma escala de produção à Hollywood. Não era natal se isto não acontecesse. E com as festas chegam também os remakes, neste caso uma variação livre do bem divertido Jumanji, esse clássico dos anos 90 com Robin Williams e uma então criança Kristen Dunst. Desta vez, tudo é mais teen e em vez do humor doidivanas de Williams temos os músculos de Dwayne Johnson. Estreia 21 dezembro.

SÓ PARA TER A CERTEZA

De CARINE TARDIEU
Uma comédia romântica nada piegas e sem tiques de Hollywood. Uma história sobre dois quarentões que se apaixonam e que, mais tarde, descobrem que podem ser irmãos. Exemplo mais do que simpático de um certo cinema popular francês que não cai no populismo habitual. Estreia 14 dezembro.

O MEU BELO SOL INTERIOR

De CLAIRE DENIS
A melhor Binoche dos últimos anos interpreta aqui uma mulher de meia idade em busca do amor. Alguém que não desiste de tentar encontrar romance, de se apaixonar, de fantasiar. Uma artista parisiense numa crise amorosa constante mas que sabe sorrir com os seus equívocos românticos. A câmara de Claire Denis dá-nos um compêndio feminista tão ligeiro como complexo. Vai ser o filme de natal para os hipsters. Estreia a 21 de dezembro.

RODA GIGANTE

De WOODY ALLEN
E que tal um filme de natal com o cinismo de Woody Allen, neste caso uma meditação sobre adultério. Partindo das memórias pessoais do cineasta, acompanhamos o percurso de uma atriz falhada que num verão quente em Conney Island comete adultério com um salva-vidas bastante mas novo. Pode não ser um dos melhores Woody, mas tem uma abrasiva Kate Winslet e um Justin Timberlake como nunca o vimos…Estreia 14 de dezembro.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.