OPINIÃO

Neste clube de futebol toda a gente é vegetariana

Os centenários Forest Green Rovers tornaram-se a primeira equipa de futebol profissional do mundo completamente vegetariana.

A história bem pode começar no final da época passada, quando os Forest Green Rovers subiram à League 2, que na verdade é o quarto escalão do futebol inglês, e o primeiro em que só jogam equipas profissionais. Nunca um clube de uma povoação tão pequena tinha alguma vez atingido as ligas superiores de Inglaterra.

Nailsworth, no condado de Glouchestercshire, não tem mais de cinco mil habitantes e é a casa da equipa. Isso já era um facto surpreendente, mas depois havia uma surpresa maior: os Rovers são um clube totalmente vegan.

Desde que Dale Vince, um antigo hippie que se tornou milionário, assumiu a direção do clube centenário, o Forest Green deixou de ter qualquer produto de origem animal nos seus menus.

Desde que, em 2015, Dale Vince assumiu a direção do clube centenário (foi fundado em 1889), o Forest Green deixou de ter qualquer produto de origem animal nos seus menus.

Vince é um antigo hippie que se tornou milionário quando abriu a Ecotricity, uma das maiores empresas de energias renováveis do Reino Unido. E, além de tudo isso, é um ecologista convicto e um vegan militante.

No estádio há um dos únicos restaurantes da aldeia. Serve refeições aos jogadores, ao staff – e aos fãs em dias de jogo. Durante décadas servia tartes de carne bastante reputadas e inverter o menu não foi fácil.

Há jogadores que, fora das instalações do clube, comem carne – mas o presidente garante que a maioria aderiu ao vegetarianismo.

A revista norte-americana New Yorker trazia há dias um artigo sobre os Rovers, em que um dos defesas da equipa, Dale Bennett, conta que o público criou uma mão cheia de frases bem-dispostas para criticar os rapazes quando estes se portavam mal em campo: «Dá para notar que não tens comido carne», «andas a perder peso, andas», ou um mais arrojado «enfia mas é esses hambúrgueres veggie pelo traseiro».

Há jogadores que, fora das instalações do clube, comem carne – mas o presidente garante que a maioria aderiu ao vegetarianismo.

A verdade é que a política dos Forest Green Rovers lhes valeu a nomeação da FIFA como «clube mais verde do mundo». E não é só a comida. O relvado é totalmente natural e não usa pesticidas, as águas no estádio são todas reutilizadas e a energia é providenciada por painéis solares.