OPINIÃO

Exercício físico ou antidepressivos? A escolha é sua

O exercício físico faz bem à saúde e sucedem-se os estudos que reforçam essa ideia. Mexer o corpo evita a depressão, ajuda a lidar com a ansiedade e aumenta a autoestima. Sair do sofá tem benefícios.

Subir as escadas ou entrar no elevador? Sentar no sofá ou fazer uma caminhada? Jantar e ver televisão ou sair e dar uma volta pelo bairro? Ir ao café de carro ou pedalar na bicicleta? Dormir mais um bocado ao sábado de manhã ou acordar mais cedo para uma aula de natação? O que dá menos trabalho é mais apetecível mas, neste caso, prejudica a saúde.

Os estudos sucedem-se, as confirmações também. Uma pesquisa recente, que envolveu cerca de 30 mil noruegueses, concluiu que uma ou duas horas de exercício por semana ajudam a prevenir a depressão.

A organização Wildlife Trust adianta que dois terços dos seus voluntários, que constroem abrigos para pássaros ao ar livre, ganham uma melhor saúde mental em seis semanas. Em Inglaterra, por exemplo, a inatividade física é um das 10 principais causas de doenças.

Uma pesquisa recente, que envolveu cerca de 30 mil noruegueses, concluiu que uma ou duas horas de exercício por semana ajudam a prevenir a depressão.

E o professor israelita Tal Ben-Shahar, da Universidade de Harvard, guru da felicidade, autor do livro Aprenda a Ser Feliz, já garantiu à NM que meia hora de exercício por dia pode ter o mesmo efeito que um ansiolítico ou um antidepressivo.

A receita é sentar menos e mexer mais. Afinal, não fomos feitos para estarmos sentados, fomos feitos para estarmos em movimento. Mas há aqui uma coisa que não bate certo: as nossas cabeças estão no século XXI e os nossos corpos vivem nos tempos da pré-história.

O exercício físico evita doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, diabetes, depressões. Pode até não contribuir para a perda de peso, mas mantê-lo-á estável.

Por isso, toca a mexer. O exercício físico evita doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais, diabetes, depressões. Pode até não contribuir para a perda de peso, mas certamente ele ficará estável. A pressão sanguínea não sofre oscilações e o sono fica mais tranquilo.

Quando fala de felicidade, Tel Ben-Sharar fala de exercício físico. «Mais dinheiro não contribui para a felicidade, o que contribui é estar com as pessoas que amamos e que nos amam, os amigos e a família, fazer exercício físico regular, expressar gratidão pelo que temos e não tomarmos as coisas, e as pessoas, por garantidas. O problema é que cada vez mais pessoas procuram a felicidade no lugar errado», disse numa entrevista à NM.

LEIA A ENTREVISTA A TAL BEN SHAHAR AQUI

A atividade ajuda a respirar. Pode ser andar de bicicleta, subir escadas, andar a pé 20 a 30 minutos por dia, ou então exercício direcionado que ajuda a mexer com certas partes do corpo, as pernas, as costas, o peito, os ombros, os braços, o abdómen. Usar os músculos traz benefícios para a saúde. E ao ar livre tanto melhor.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.