Que beber pode fazer mal à saúde não é novidade para ninguém. Mas um novo estudo aponta para o risco elevado de cancro nos consumidores regulares de álcool.

Texto de Ana Patrícia Cardoso

Beber é um dos atos sociais mais apreciados em todo o mundo. Seja vinho, cerveja ou bebidas brancas, é rara a ocasião festiva que não envolve bebidas alcoólicas. O problema surge quando esse consumo se torna exagerado e afeta a saúde a longo prazo. Um novo estudo da American Society of Clinical Oncology afirma que consumidadores regulares têm maior probabilidade de ter cancro (na boca, garganta, fígado, da mama ou cólon e reto).

Apesar de, ao contrário do tabaco, a mensagem não ser «pare de beber», os médicos aconselham a que «se não quer ter cancro, beba menos. Se não bebe, não comece».