OPINIÃO

Vegan

Agora a moda é não usar matérias que impliquem o sofrimento de animais.

Roupa, sapatos e acessórios com matérias sem origem animal. A tendência surgiu nos anos 40 do século passado, mas há agora cada vez mais adeptos. E chegou até à moda.

O que têm em comum Bill Clinton (ex-presidente dos EUA), Carrie Underwood (cantora), Al Gore (político), Natalie Portman (atriz), Mike Tyson (ex-pugilista) e Ellen DeGeneres (comediante)? São vegan. O denominador comum deste estilo de vida é a defesa e a proteção dos direitos dos animais. Foi criado por Donald Watson, há mais de seis décadas, quando este americano decidiu sair da Sociedade Vegetariana por diferenças ideológicas e fundar o veganismo. No que diz respeito à moda, a tendência espalhou-se.

Os vegans não usam couro, lã ou seda. São já várias as marcas que adotaram a ideologia. Stella McCartney tem uma linha de produção de lã especial de forma a não recorrer à matéria-prima original. A roupa vegan recorre a algodão, linha, cetim e tecidos tecnológicos sem componentes animais. A roupa, o calçado e os acessórios são feitos de matérias-primas naturais ou tecnológicas, em que não há nada que promova sofrimento direto dos animais. Todos os produtos de moda têm de respeitar os direitos de todos os seres vivos. Portugal não é exceção e cada vez mais surgem adeptos deste movimento.

Catarina Vasques Rito