OPINIÃO

Mexa-se mais, coma melhor

«Segredo» para ser mais saudável e magro é simples e está ao alcance de todos.

Não envolve dietas radicais nem tardes inteiras passadas no ginásio. A fórmula é esta: mexa-se mais e coma melhor. É só.

Vamos de carro para o trabalho, subimos no elevador e sentamo-nos à secretária oito horas. Ao fim do dia, fazemos o percurso inverso até chegar a casa e aterrar no sofá. Pelo meio, almoçamos uma salada e lanchamos meia dúzia de bolachas. E está pintado o quadro de verdadeiros maus-tratos ao corpo que nos colocará no caminho errado – o do excesso de peso e falta de saúde. Em Espanha, um documento elaborado pela Fundação Espanhola de Nutrição e pela Sociedade Espanhola de Nutrição Comunitária, entre outras entidades, concluiu que a esperança de vida pode aumentar em média 3,4 anos em pessoas que praticam atividade física moderada.

O documento – A Chave para Um Balanço Energético Adequado – frisa ainda que uma vida sem excesso de peso e respetivos problemas associados consegue-se através de uma equação muito simples: a ingestão de energia dever ser igual ao gasto de energia. Para isso, defendem os autores, não é necessário comer menos – o que pode comprometer o cumprimento das recomendações nutricionais, sobretudo no que respeita às vitaminas e minerais – mas antes comer melhor, manter uma alimentação variada, moderada e equilibrada. E ter um estilo de vida que evite os hábitos sedentários e nos faça mexer mais. Embora durante muito tempo se tenha colocado o foco do combate à obesidade quase exclusivamente nas questões da nutrição, há evidências crescentes de que não há alimentos maus. Tudo depende de quanto se consome e de quanto se gasta.

O corpo não foi feito para ficar parado. Daí que a solução para reduzir o peso não possa passar apenas pela restrição alimentar, que realizada por si só e a longo prazo não é eficaz para reduzir o excesso de peso e a obesidade, defende o mesmo documento. A nossa fisiologia está preparada para um nível elevado de consumo e gasto energético: se há restrição alimentar e não há gasto energético, tudo o que o organismo faz é adaptar-se para poder manter o peso, «consumindo» menos energia.

Na maioria dos casos, referem vários estudos científicos, a obesidade é causada por um contínuo balanço positivo de energia armazenada no nosso corpo que excede a consumida. Por essa razão, a prática de atividade física é essencial, o que levou a Organização Mundial da Saúde a estabelecer como recomendação a prática generalizada de pelo menos 150 minutos por semana de atividade física intensa a moderada – para adultos – e 60 minutos por dia para crianças e adolescentes.

A FÓRMULA MÁGICA PARA COMBATER A OBESIDADE

Mexa-se mais

Prescinda de elevadores para andares baixos e use o elevador apenas em parte do percurso para andares altos. Suba e desça meia dúzia de vezes uns lanços de escada todos os dias.

Use a mesma lógica para percursos de metro e autocarro: faça o caminho a pé se se tratar de apenas uma ou duas estações ou paragens e saia uma ou duas antes do destino para se obrigar a andar um pouco. Se anda de carro também pode usar uma dica: estacione longe.

Arranje companhia para se mexer. Tente substituir a combinação imperial + esplanada por corrida + parque.

Dance! Pôr uma música animada e dançar em casa, sozinho ou acompanhado, vai ajudá-lo a gastar calorias, além de lhe melhorar o humor.

Brinque com as crianças como elas gostam: a correr. Gasta calorias, deixa-as felizes e incute-lhes desde cedo o gosto pela prática de exercício.

No trabalho, levante-se para ir à outra sala falar com um colega em vez de lhe mandar um e-mail, vá buscar o seu café em vez de pedir que lho tragam e aproveite telefonemas ou reuniões para estar de pé.

Coma melhor

Não passe fome: estar esfomeado é meio caminho andado para pecar e comer demasiado na refeição seguinte.

Reeduque o seu paladar e aprenda a ser guloso por alimentos mais saudáveis. Pode ter de experimentar vários até acertar, mas arranje um substituto para aquelas bolachas do meio da tarde que lhe saibam igualmente bem.

Comer melhor começa no supermercado, não vá às compras com fome e discipline-se: não leve para casa nada que não queira comer.

Aposte em localizações estratégicas: tenha sempre legumes e fruta em casa e ponha-os bem à vista. Com a fruteira em cima da mesa da sala é mais fácil ter vontade de comer uma maçã.

Aprenda a fazer receitas saudáveis. Pelo menos uma vez por semana pesquise na internet ou em livros de culinária novas receitas. Aquilo que sabe cozinhar determina em muito a forma como se alimenta.

A refeição não é altura para pressas. Coma com calma e mastigue bem os alimentos. Quando se come rapidamente, é maior a quantidade de comida que se ingere até que se atinja a sensação de saciedade.