OPINIÃO

7 minutos sem desculpas

Pode sempre repetir o circuito para maximizar resultados...

Falta de tempo? Esqueça! Não poderá voltar a dar essa desculpa para evitar o exercício físico. Criado em 2013, nos EUA, este treino promete mudar a sua saúde em sete minutos diários. E nem precisa de acessórios caros e complicados – apenas de uma cadeira.

O exercício físico é, cada vez mais, uma parte essencial da vida de muita gente. Os ginásios estão à pinha, as ruas estão cheias de gente a correr e no entanto muitos de nós não con­seguem  encontrar uma vaga no ho­rário para encaixar o exercício físi­co regular. Foram estas as condições  que levaram Brett Klika e Chris Jor­dan, do Human Performance Insti­tute, em Orlando, EUA, a desenvol­ver um treino inovador, em 2013.

Muitos dos seus clientes são pro­fissionais de destaque que enfren­tam a pressão de estar sempre no seu melhor enquanto dividem o tempo entre carreiras bem-sucedidas e as vidas pessoais. Klika e Jordan lem­braram-se, então, de criar um trei­no que oferecesse a estes clientes a possibilidade de cuidarem de si em qualquer lado e em muito menos tempo do que aquele que é exigido pelos treinos tradicionais. E o treino dos sete minutos nasceu.

«Para responder às limitações dos protocolos de exercício tradicionais e fornecer um programa eficien­te e eficaz, uma das estratégias que usamos é o treino de circuito de al­ta intensidade (HICT), que usa o pe­so do corpo como resistência. A nos­sa abordagem combina os treinos aeróbico e de resistência num úni­co treino de aproximadamente se­te minutos. Os participantes podem repetir a sequência duas ou três ve­zes, dependendo do tempo que têm. Como o peso do corpo fornece a úni­ca forma de resistência, o programa pode ser feito em qualquer lugar.»

Mas como é possível concentrar os benefícios de um treino regular em apenas sete minutos, fazendo deles os mais duros do seu dia? A ideia é que estes exercícios sejam feitos de for­ma intensa, tão intensa que, considerando uma escala de 1 a 10, o nível de desconforto deve rondar o 8. Em­bora cada exercício seja feito apenas du­rante 30 segundos (o que deverá cor­responder entre 15 e 20 repetições de cada), havendo uma pausa de 10 se­gundos entre cada um de­les, a verda­de é que, ao exigirmos tanto de nós, cada segundo de treino parece durar uma eternidade. É importante, tam­bém, que a sequência seja cumprida como foi desenhada, já que foi pensa­da para alternar o trabalho dos mús­culos na parte superior do corpo com os músculos da parte inferior, permi­tindo-lhes que recuperem (mesmo que não pareça).

E resultados? De acordo com o American College of Sports Medicine’s Health & Fitness Journal, as pesqui­sas indicam que o HICT tem bene­fícios na perda de peso e massa gor­da, acelerando o metabolismo até 72 horas após o treino (aumentan­do, portanto, o dispêndio calórico). Também a perda de gordura subcu­tânea parece sair beneficiada em re­lação aos treinos tradicionais. Além disto, o HICT tem provado ser ex­tremamente eficaz na melhoria da saúde cardiopulmonar, permitindo ganhos semelhantes, e por vezes até superiores, aos treinos tradicionais.

Uma nota de aviso: dada a exigên­cia do treino, os autores aconselham cuidado a quem está a começar, sen­do sempre recomendável consultar um médico antes, para avaliar a sua condição física e perceber até que ponto este treino poderá ajudá-lo. Tem luz verde? Ótimo. Vá buscar uma cadeira e siga as instruções.

Laura Patrício