OPINIÃO

Taberna Ó Balcão

Em Santarém, pode esperar-se muita coisa, mas dificilmente se vai a contar com um arroz de lingueirão digno de memória.

Por questões óbvias. Mas Rodrigo Castelo não é propriamente homem de se deixar limitar pelo óbvio. Ele, que foi forcado durante mais de uma década, trabalhou na indústria farmacêutica e, há coisa de um ano, meteu mãos à obra para concretizar o velho sonho de cozinhar. O que lhe falta em currículo ou em formação (que está agora a fazer) sobra-lhe em paixão, entusiasmo e gosto por aquilo que faz. E talento, note-se.
Numa casa que em tempos foi tasca castiça, a dois passos do centro histórico, fez uma taberna contemporânea com o ambiente acolhedor de uma sala de jantar. Evite-se as óbvias conclusões precipitadas: não se trata de apenas mais uma taberna contemporânea. Respeito pelo produto é a preocupação focal de Rodrigo, que cozinha com feeling e sinceridade, procurando ir muito além dos petiscos do costume: huevos rotos, coelho de escabeche, codorniz estufada em redução de abafado, lentriscas (carne do entrecosto, fatiada, macerada em limão e panada) ou aquele que o anfitrião defende como «o» prato de Santarém, o molhinho (lê-se «mólhinho»). No grande quadro de ardósia, sobre o vidro que separa a cozinha da sala, estão listados os perto de quarenta petiscos do dia. Como boa taberna que se preze, aqui o vinho também é protagonista, com claro destaque para as referências da região. Mas isso (e apenas isso) é óbvio.


TABERNA Ó BALCÃO

Rua Pedro Santarém, 73, Santarém
Tel.: 243055883
Preço médio: 15 euros
De segunda a sábado, das 11h00 à meia-noite. 

João Mestre
Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens