OPINIÃO

Quem faz um filho, fá-lo porquê?

[…]

Portugal é hoje um dos países menos fecundos do mundo e, no entanto, os portugueses não desistiram de ter filhos. Gostariam de ter dois, o que asseguraria a substituição natural de gerações, comprometida desde os anos oitenta do século passado, mas a maioria fica-se pelo primeiro, que adia cada vez mais. Raros são os que têm três ou mais. O governo nomeou uma comissão para estudar a natalidade e propor medidas. As propostas, apresentadas há duas semanas, relançaram a discussão: afinal, porque é que não temos os filhos que queremos? Leia a reportagem aqui.

Catarina Pires
Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens