OPINIÃO

Para um dia todo

Porque um dia não são dias...

O Pedro Lemos é um requintado espaço de cozinha de autor no coração da Foz, que nos meus tempos de liceu era o bar Pifo! Não é barato, mas é bom, muito bom.

Às vezes acontece-me ir com amigos experimentar restaurantes longe do Porto e ouvi-los exclamar no entusiasmo do momento: «Este restaurante dava era na Baixa da Invicta ou no coração de Matosinhos.» O meu saber de experiência feito já me ensinou que estão redondamente enganados.
Quando um restaurante tem sucesso num certo local, o sítio passa a ser determinante para a continuação do êxito. Aliás, o que menos falta hoje são restaurantes deslocalizados, em que se nota bem como a cozinha perdeu o pé (e a mão) quando perdeu as raízes.

O Pedro Lemos, bem ao contrário, está onde está como peixe na água. Deve até dizer-se que por vontade do chefe só se serviria peixe, mas como a maioria dos clientes não consegue dispensar a carne, ainda restam na lista delícias como o cordeiro de leite com favas, cuscuz e toucinho fumado e ainda a vitela branca com gnocchis, endívias e batata trufada.

Nesta visita entreguei-me nas mãos de quem sabe, e carne nem vê-la. Foi o melhor que me aconteceu! Estava um calor de ananases e o almoço pedia a contenção de quem ia continuar o dia de trabalho e não podia ficar a marinar o almoço durante a tarde. Bom, mas a mais preciosa informação que posso dar sobre este excelente Pedro Lemos, da Foz Velha, é sobre tudo o que provei, rigorosamente, jurando pela saúde da minha filha que trabalhei durante a tarde nas melhores condições.

Comecei com um snack de capuccino de meloa, porto branco seco e hortelã e um corneto de atum, tomate e gengibre. De seguida, como amuse-bouche, umas migas de bacalhau, caldo do assado e tomate bio. Degustadas as boas-vindas do chefe, deu entrada a sopa de boca negra e pargo capatão. A título de entrada, foi recebido um lagostim com espargos brancos, caviar beluga e maçã verde. Como prato de resistência apareceu, patudo, o atum acolitado de legumes do Poial, beldroegas e molho das barrigas fumadas. Após uma pausa, em que rememorei e arquivei todos os prazeres anteriores, ainda aceitei a sobremesa num magnífico conjunto composto por banana, alfazema e pérolas de sagu com Barbeito.

Pode não ser um restaurante para todos os dias, mas é um restaurante para um dia todo.

O LUGAR ©©©©©
O SERVIÇO ©©©©©
A COMIDA ©©©©©

PEDRO LEMOS Rua do Padre Luís Cabral, 974, 4150-459 Porto. Cozinha portuguesa contemporânea. Tel.: 220115986. Fumadores. Reserva aconselhável. Aberto de segunda a sábado, das 16h00 às 24h00.

Manuel Serrão
Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens