OPINIÃO

Mandamentos para uma vida mais saudável

Conheça sete mandamentos para ser mais saudável e feliz.

Dormir melhor, praticar mais exercício, comer melhor, beber mais água ou aprender a combater o stress são algumas mudanças simples que podem transformar (muito) a nossa vida. Conheça sete mandamentos para ser mais saudável e feliz.

MEXER-TE-ÁS MAIS
Não fomos feitos para passar o dia sentados. Hoje já não há presas a per­seguir ou feras de quem escapar, mas os nossos corpos continuam a preci­sar de fazer exercício para se mante­rem saudáveis. No ginásio, na rua ou em casa, há uma série de opções pa­ra todos os gostos e carteiras: corri­da, bicicleta, natação, dança ou ar­tes marciais são algumas das melho­res atividades para quem quer perder peso e manter-se em forma. Segun­do uma pesquisa da Universidade do Texas, por cada hora que passamos sentados, anulamos em 8% os bene­fícios de uma hora de corrida – ou se­ja, se corrermos uma hora de manhã e, depois, passarmos dez horas senta­dos, estaremos a perder cerca de 80% dos benefícios dessa corrida. Solu­ção: fugir da cadeira o mais possível, nem que por pequenos períodos, ao longo do dia, para esticar os múscu­los e caminhar um pouco.

BEBERÁS MAIS LÍQUIDOS
Come de forma saudável, pratica exercício e, mes­mo assim, continua a não conseguir atingir o pe­so que desejava? A resposta pode ser tão simples quanto isto: beba água. Além de todas as vanta­gens, a ingestão de água provoca uma sensação de saciedade e uma aceleração do metabolismo. Além disso, manter um bom nível de hidratação ajuda ao correto funcionamento do organismo e garante uma pele mais jovem e saudável.

NÃO CORTARÁS NAS HORAS DE SONO
Muitas vezes, 24 horas parecem não ser suficien­tes para fazermos tudo o que temos a fazer, e as ho­ras de sono acabam por sair sacrificadas em con­sequência. Pode não parecer grave – mas é. Em média, o ser humano precisa de dormir cerca de oito horas por dia. Quando fazemos da falta de so­no uma regra, aumentamos o risco de hipertensão arterial, diabetes, depressão, cancro da próstata e da mama e obesidade, entre outras complicações.

ENCONTRARÁS TEMPO
Uma ida ao cabeleireiro, uma tarde de com­pras, um passeio pela praia, um domingo passado no sofá com um livro, uma visita ao melhor brunch da cidade… encontrar tempo para si é fundamental para se sentir bem e viver melhor. Encare estes momentos a sós como um compromisso, tão importante quanto uma reunião e, se for necessário, fi­xe-os mesmo na agenda. Da mesma forma, encontre tempo para estar com quem mais ama. A prática de exercício físico em famí­lia, por exemplo, tem várias vantagens, co­mo o aumento da confiança e autoestima nas crianças, o fortalecimento dos laços fa­miliares, forte efeito anti-stress, prevenção de doenças crónicas não transmissíveis, co­mo cancro e doenças cardiovasculares. E é ainda um aliado contra a obesidade. Se tra­balha fora de casa, resista à tentação de levar trabalho consigo e evite abrir e-mails e aten­der telefonemas depois de sair do escritório. Se trabalha em casa, defina uma hora limite para se dedicar às tarefas profissionais – e, a partir daí, desligue.

FARÁS STOP AO STRESS
Mudança acentuada de peso, pele en­velhecida, queda de cabelo, ansieda­de, dificuldade em dormir… São sinto­mas de um problema bem comum nos nossos dias: o excesso de stress. Embora muitas vezes desvalorizado, pode con­duzir a situações de hipertensão, aler­gias, infeções causadas por baixa imu­nidade, depressão, asma, bronquite, enxaquecas e gastrite. Pratique exercí­cio físico, dedique tempo a atividades que trabalhem a mente, como ioga, tai chi ou meditação e reserve alguns mo­mentos do dia para descontrair.

NÃO FARÁS DIETAS LOUCAS
Todos os dias, surgem novas dietas que prometem dar-nos o corpo com que sempre sonhámos. Porém, uma dieta demasiado restritiva implica sempre perigos. Se quer perder peso, o melhor é consultar o seu médico ou nutricio­nista e aconselhar-se antes de iniciar um novo plano alimentar. Aproveite esta época para começar já a trabalhar e ver resultados no verão, evitando as­sim dietas «loucas» que têm maior pro­babilidade comprometer a sua saúde e de falhar – sobretudo por serem difí­ceis de cumprir a longo termo.

NÃO DESISTIRÁS
Segundo um estudo recente da University College of London, são precisos, em mé­dia, 66 dias até que um novo hábito se entranhe. Comprometa-se. Trace um plano e cumpra-o. Os resultados não surgem de um dia para o outro – mas surgem. Por ou­tro lado, saiba respeitar o seu corpo. Aumente a dificuldade do exercício físico gra­dualmente e veja de que forma o seu organismo reage às mudanças na alimentação. Acima de tudo, não desista.

Laura Patrício