OPINIÃO

Esta cadeira mata

Sabia que passar muito tempo sentado prejudica gravemente a saúde?

Nos últimos anos, os alertas sobre o perigo de passarmos tantas horas sentados têm-se multiplicado. Obesidade, doenças renais, problemas cardíacos, estes são apenas alguns dos riscos de uma vida passada na cadeira – um mal contemporâneo que alguns já rotulam como o novo tabaco.

Sentados no carro, no comboio, no metro, no escritório, no so­fá, no restaurante, no café. É as­sim, sentados, que passamos, em média, nove horas do dia. O problema tem nome próprio: sitting disease ou «a doença sentada». E isso, dizem os cientistas, está a matar-nos.

Em 2012, um estudo australiano anali­sou mais de 220 mil indivíduos e concluiu que os adultos que passavam mais de 11 ho­ras por dia sentados tinham um risco 40 por cento superior de morrer nos próxi­mos três anos – de qualquer causa – do que aqueles que se sentavam durante menos de 4 horas por dia.

Entre os problemas decorrentes da «do­ença sentada» estão a obesidade, o aumen­to do risco de um ataque cardíaco, doen­ças renais e ainda o aumento da taxa de mortalidade no cancro colorrectal, diz um estudo publicado este ano no ameri­cano Journal of Physical Activity and Health. No caso dos indivíduos com mais de 60 anos, diz ainda o estudo, cada hora no sofá aumenta em 50 por cento a probabilidade de virem a ficar inválidos.

A explicação passa pela diminuição do ritmo do metabolismo, promovida pe­la imobilidade dos músculos. Os níveis de triglicéridos aumentam, o chamado «bom colesterol» desce, a circulação sanguínea ocorre em piores condições. O corpo so­fre. Mas não sofre sozinho: de acordo com um estudo de 2011, publicado no Annals of Behavioral Medicine, aqueles que passavam mais tempo sentados revelavam, também, pior saúde mental. Assustado? Bom. É tempo de saltar da cadeira.

Exercício físico não chega
As recomendações da Organização Mun­dial da Saúde (OMS) para os adultos entre os 18 e os 64 anos são de 150 minutos de exercício aeróbico moderado por semana, em períodos de pelo menos dez minu­tos seguidos, e atividades de fortalecimen­to dos músculos duas ou mais vezes por se­mana. Mas tal poderá não ser suficiente para combater os riscos de uma vida pas­sada na cadeira.

«Até muito recentemente, se praticasse 60 minutos de exercício físico ou mais por dia, se­ria considerado fisicamente ativo. Agora, um conjunto consistente de pesquisas emergen­tes sugere que é inteiramente possível respei­tar as recomendações de atividade física e ser ao mesmo tempo incrivelmente sedentário, e que estar sentado aumenta o risco de morte e de doença, mesmo que faça bastante exercí­cio físico. É um pouco como fumar. Fumar é mau mesmo que se faça muito exercício. Tal como passar muito tempo sentado», explica­va à Runner’s World o Dr. Travis Saunders, do Hospital Pediátrico de Eastern Ontario, em 2013. O artigo fazia ainda referência a um es­tudo publicado no ano anterior, que concluía que os indivíduos que praticavam exercício físico regularmente eram também aqueles que faziam menor esforço para se moverem durante o horário de trabalho, sublinhando o mesmo problema.

Segundo uma pesquisa da Universidade do Texas, divulgada em julho deste ano na mesma revista, por cada hora que passa­mos sentados, anulamos em oito por cen­to os benefícios de uma hora de corrida – ou seja, se corrermos uma hora de manhã e, depois, passarmos dez horas sentados, estaremos a perder cerca de 80 por cento dos benefícios dessa corrida. O caso é ain­da pior quando se trata de exercícios mo­derados: aqui, a perda é de 16 por cento por hora. A solução? Uma: passar menos tem­po na cadeira ou no sofá.

MEXA-SE!

NO TRABALHO:

» Use as escadas em vez do elevador (ou em casa ou em qualquer circunstância).
» Aproveite as chamadas telefónicas para caminhar um pouco (ou em casa ou na rua).
» Dirija-se diretamente à secretária de um colega sempre que precisar de falar com ele, em vez de enviar um e-mail ou fazer um telefonema.
» Faça pequenas pausas entre o trabalho para esticar os músculos e caminhar, pelo menos a cada hora.
» Mude de posição frequentemente: qualquer movimento é bom movimento.
» Sugira fazer algumas das reuniões em movimento, em vez de estarem todos sentados à mesa.
» Se tiver possibilidade, coloque o computador numa mesa alta e alterne períodos de tempo de trabalho sentado e de pé.

EM CASA:
» Fuja do sofá. Uma bicicleta estática ou uma passadeira com vista para a televisão podem ser uma boa forma de reduzir as horas que passa sentado e de aumentar o tempo que faz exercício.
» Aproveite os anúncios publicitários para se levantar.

Fotografia: Corbis