OPINIÃO

O espírito da tasca

O RESTAURANTE BAR TOLO nasceu de uma conversa de amigos e agora tem portas abertas no coração da Foz Velha, no Porto.

Quer para esses amigos… quer para quem vier por bem, disposto a provar bons petiscos.

O Bar Tolo já foi Meu? Sim e não. Não, nunca foi meu, mas sim, começou por se chamar Bar To­lo Meu. Mas agora é só Tolo e não tem mal nenhum.

Mesmo não sendo de Olhão, mal me apercebi da casa escolhida e do local onde fica, vi logo que a ideia não era tola. Insta­lado onde antes já viveu uma antiga agên­cia funerária, este Bar Tolo tem uma deco­ração linda de morrer. E as ementas den­tro de livros do Astérix e do Gaston, o que é uma tolice engraçada.

Ao longo dos três andares que nos levam a uma esplanada tão pequena como sim­pática, existe uma combinação de estilos que ajuda a criar ambientes propícios aos vários públicos e targets que assumem. Eu próprio fui testemunha de que no mesmo dia, ao almoço, se juntou, num dos pisos, um distinto grupo de executivos que se deve ter ocupado de muitos milhões, en­quanto despachavam vários nacos de bar­rosã, a um casal estrangeiro de namora­dos que, noutro piso, se derretia, agarrado a um Camembert com mel e nozes. Como não há dois sem três, no piso da entrada, onde me sentei, duas amigas (claramente fozeiras) punham a má-língua em dia, ao mesmo tempo que misturavam uma sala­da com sumo de laranja.

No que me toca, depois do Carloto Lei­tão (um dos proprietários) me ter contado a estória do Bar Tolo e de como ainda estão a afinar ementas, serviço e espaços, apos­tei num conjunto de petiscos que estavam todos irrepreensíveis. Fica a nota que os petiscos são avantajados, pelo que se reco­mendam mais para grupos. Ainda sem es­tar na posse desta informação, enveredei por um caminho onde me cruzei com um bacalhau à Brás, uma minifrancesinha e uns preguinhos do lombo, que viria a reve­lar-se demasiado ambicioso. É que detesto deixar comida nos pratos!

O espírito da tasca reencarnou nestes petiscos, mas também há pratos «nor­mais» e hei-de lá voltar para provar os lombelos recheados com migas de espar­gos. Apesar da nega parcial dada aos petis­cos, não tive coragem para recusar a tarte de lima sugerida pela menina que me aten­deu e fiz bem, que cumpriu a preceito a sua missão de desenjoar. Que é uma coisa que dizemos sempre que comemos bem e ain­da queremos mais, sem estarmos enjoados de coisa nenhuma.

RESTAURANTE BAR TOLO. Rua Senhora da Luz, 185, na Foz Velha do Porto. Tel.: 224938987. Ambiente informal e descontraído. Aberto todos os dias, até às 24h00. À sexta-feira e sábado, estica até às 2h00. Preço médio: 20 euros.

O LUGAR ****

O SERVIÇO ****

A COMIDA ***

Manuel Serrão
Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens