OPINIÃO

A prata da casa

[…]

A propósito da reportagem sobre funcionários antigos [17 de novembro], obrigado, Jorge Ribeiro, pela atenção dispensada na Bertrand da rua 31 de janeiro. Obrigado pelo replicar de sugestões e indícios capazes de transformar a curiosidade em interesse. O Jorge Ribeiro é um gentleman no atendimento, um príncipe da paciência. Imaginava-me conhecedor da poesia quando o contactei procurando um livro de Eugénio de Andrade. O diálogo que se seguiu levou-me a Óscar Lopes e Arnaldo Saraiva. Em vez de um livro, comprei três.

Fotografia @