OPINIÃO

A limusina que vem do frio

A Volvo acaba de lançar o novo S90.

Condução suave, muito espaço e luxo a bordo, um nível de segurança de topo. A Volvo tem os melhores argumentos para convencer os executivos a renegar os concorrentes alemães. Chama-se S90.

A Volvo só tinha uma forma de combater os rivais BMW série 5 e Mercedes classe E: lançando este novo S90, que partilha a plataforma e tecnologias do SUV premium XC90, e o luxo e design escandinavos. Este automóvel executivo é feito para andar, o lugar dele é a estrada. E, apesar dos quase cinco metros de comprimento, é assinalável a leveza com que se conduz o S90. Pode perfeitamente usar-se no trânsito da cidade – onde a excelente manobrabilidade o coloca ao nível de um carro mais pequeno e leve – ou em estradas mais sinuosas, graças ao bom desempenho da suspensão pneumática Four-C (um extra que custa dois mil euros).

Mais: a transmissão associada à caixa automática Geartronic de oito velocidades contribui ainda para uma condução bastante suave. O carro ensaiado, com motor D4 FWD com 190 cavalos – não é o mais potente a diesel, esse é o D5 de 235 cv –, tem rápida resposta à aceleração, mesmo nas recuperações em regimes baixos. Há três modos de condução possíveis (Comfort, Eco e Dynamic), mais rápido, mais confortável ou mais familiar. Tudo depende do espírito da viagem, porque o coração deste carro aguenta emoções fortes – sendo que o gasto de gasóleo será proporcional: a marca anuncia 4,4 litros/100 km de consumo misto, mas as médias registadas no ensaio rondaram os seis litros.

No que toca ao conforto, o Volvo excede as expetativas. Os bancos da frente são ideais para viagens longas e incluem até apoios laterais elétricos (por mais 400 euros). O ambiente «nórdico» a bordo é de requinte, com apontamentos de madeira no tablier e nas portas. O ecrã tátil na consola central concentra praticamente todas as funções, das ajudas à condução, GPS e tecnologia de conetividade, às mais simples, como o ar condicionado, obrigando muitas vezes a desviar a atenção da estrada para escolher a estação certa – mas também existem botões de atalho no volante multifunções.

Espaço também não falta. Nos bancos traseiros viajam perfeitamente três adultos, com dimensão de sobra para as pernas – na versão FWD o lugar do meio sai um pouco prejudicado pelo túnel central, mas nada que comprometa o conforto. Há lugar de sobra também para uma cadeirinha de bebé, sem condicionar a habitabilidade dos restantes passageiros. Para a bagagem há também muito espaço de arrumação e acesso fácil, ainda que os 500 litros disponíveis na versão berlina estejam ligeiramente abaixo da concorrência alemã.

No capítulo da segurança, o S90 – tal como a carrinha V90 – conquistou este ano nota máxima (cinco estrelas) nos testes da EuroNcap, a entidade que avalia os automóveis no mercado europeu. Resultados que não surpreendem, a avaliar pela meta a que a Volvo se propõe em 2020, que não haja registo de vítimas mortais ou feridos graves nos seus veículos novos. Daí que o S90, V90 e XC90 estejam no topo dos automóveis com melhor tecnologia de assistência à segurança – o pilot assist, por exemplo, acelera, trava e corrige a trajetória dentro da faixa de rodagem, até ao limite de 130 km/h, sem intervenção do condutor, tendo atenção ao veículo da frente. O preço base do S90 é de 53 874 euros.

Bruno Contreias Mateus