OPINIÃO

O melhor chocolate da Europa é português

Tomoko Suga e Susana Tavares fazem chocolates do grão à tablete. As chocolateiras de Aveiro acabam de conquistar mais uma medalha de ouro e vão representar o melhor chocolate europeu, na categoria de alta percentagem de cacau, numa das mais prestigiadas competições internacionais, em outubro, em Londres. A Feitoria do Cacao é o nome do negócio desta dupla que este ano já arrecadou seis prémios.
Tomoko e Susana

Texto de Sara Dias Oliveira | Fotografia de Maria João Gala/Global Imagens

A Feitoria do Cacao é o negócio que une a japonesa Tomoko Suga e a portuguesa Susana Tavares no fabrico de chocolates desde o grão do cacau à tablete. Fazem todo o processo de forma manual numa loja em Aveiro. Começaram em dezembro de 2015 e este ano já arrecadaram vários prémios. Em outubro estarão em Londres num dos mais importantes concursos internacionais como representantes do melhor chocolate europeu com alta percentagem de cacau, mais de 85%. O chocolate negro Costa Rica com 92% de cacau é o grande vencedor, ganhou a medalha de ouro, na categoria de chocolate com alta percentagem de cacau, no International Chocolate Awards 2017, um dos maiores e mais reputados concursos internacionais. O chocolate de leite Tanzânia 60% com leite de ovelha conquistou o bronze, na categoria de chocolates de leite, no mesmo concurso e ainda ganhou uma estrela no Great Taste Awards 2017.

O chocolate negro Costa Rica com 92% de cacau da Feitoria do Cacao ganhou a medalha de ouro, na categoria de chocolate com alta percentagem de cacau, no International Chocolate Awards 2017, um dos maiores e mais reputados concursos internacionais.

A cerimónia do International Chocolate Awards 2017 terá lugar em outubro, em Londres, onde serão eleitos os vencedores internacionais entre os finalistas de quatro regiões já apuradas, ou seja, Américas, Ásia-Pacífico, Peru e Europa. Tomoko e Susana estarão presentes com o melhor chocolate europeu na categoria premiada. São mais três prémios a juntar às duas medalhas de ouro arrecadadas no Concurso Nacional de Chocolates Tradicionais 2017 e à medalha de prata do chocolate negro com 76% de cacau Nicalizo da Nicarágua, no Academy of Chocolate Awards 2017. LEIA AQUI O PERFIL DE TOMOKO E SUSANA, AS CHOCOLATEIRAS DE AVEIRO A Feitoria do Cacao começou a fabricar chocolates com cacau vindo da Nicarágua, São Tomé e Príncipe, Colômbia, Costa Rica, e Tanzânia, em dezembro de 2015. Em julho de 2014, Tomoko e Susana estiveram em São Tomé e Príncipe, visitaram várias roças de cacau, decidiram mudar as suas vidas e abrir um espaço para fabricar chocolate do grão à tablete de forma completamente artesanal, em pequenos lotes. Este ano lançaram-se, pela primeira vez, em concursos internacionais e já arrecadaram seis prémios. Neste momento, têm nove chocolates diferentes e andam a fazer experiências para novos sabores. E é na cave da Feitoria do Cacao que tudo acontece. É onde estão as matérias-primas, os cacaus de diferentes origens, as indicações escritas a marcador em azulejos brancos, prateleiras de inox com amostras, chocolate à espera de ser temperado, e a maquinaria comprada fora porque não há à venda em Portugal. O forno veio da Austrália, o triturador dos Estados Unidos, os moinhos da Índia, a máquina de temperar chocolate da Itália. E, todos os dias, Tomoko Suga e Susana Tavares fazem chocolates numa pequena loja na estrada de São Bernardo, em Aveiro. Neste momento, têm 19 pontos de vendas em Portugal, entre lojas gourmet e mercearias modernas, e exportam cerca de 80% do que fabricam para o Japão, Espanha, Bélgica e Inglaterra. Os seus chocolates estão, por exemplo, em Londres na Cocoa Runners, uma das lojas mais conceituadas do mundo do conhecido crítico Spencer Hyman.