OPINIÃO

O Rocky foi à Praia dos Cães, que atrai cada vez mais turistas… caninos

Um ano depois de inaugurada a primeira praia para cães, a Câmara e a Capitania de Peniche fazem um balanço positivo do projeto, que continua a atrair turistas nacionais e estrangeiros que gostam de levar os animais a banhos.

Texto de Lusa | Fotografia de Shutterstock

Rocky, o cocker spaniel de Peter e Helen Persen, tomou hoje o seu primeiro banho de água salgada «um bocadinho desconfiado no princípio, mas seguramente feliz», garantiram os donos no final de “uma manhã bem passada” na Praia do Porto da Areia Norte.

O casal holandês que percorre as praias portuguesas numa carrinha Volkswagen «Pão de Forma», descobriu «numa pesquisa na internet» que existia em Peniche uma praia para uso canino, o que não deixou dúvidas a Helen: «tínhamos mesmo que trazer por cá o nosso cão». Rocky, que se ressente «quando tem que ficar na carrinha ou em casa» agradece e «até já fez um amigo português», revelam os donos.

Para o presidente da Câmara Municipal de Peniche, responsável pela abertura da primeira praia aberta à permanência de animais de estimação em Portugal, «o balanço é francamente positivo», quer pelos resultados quer pelo efeito de réplica que já levou ao surgimento de outra praia do género em Viana do Castelo.

Já o amigo, o rafeiro Bongo, é presença assídua naquela praia desde que no ano passado António Matos ficou a saber «pelas notícias que tinha sido inaugurada uma praia para cães».
No verão passado, a família, moradora em Loures, escolheu Peniche para «passar alguns fins de semana». Mas este ano, optou por «alugar uma casa com quintal e passar aqui duas semanas para que o Bongo possa andar sempre connosco», contou à Lusa.

Nikita, a cadela de António José Correia, presidente da Câmara de Peniche, não teve tanta sorte. No verão passado foi das primeiras a usufruir da praia de uso canino, mas este ano «vai ter que esperar pelas férias do dono para ir a banhos», afirmou o autarca.

Para o responsável pela abertura da primeira praia aberta à permanência de animais de estimação em Portugal, «o balanço é francamente positivo», quer pelos resultados quer pelo efeito de réplica que já levou ao surgimento de outra praia do género em Viana do Castelo.

A visibilidade conseguida através da comunicação social «atraiu turistas que gostam de levar consigo os animais» e contribuiu para «o bem-estar animal, diminuindo o número de pessoas que deixam o cão nas viaturas para irem à praia», diz António José Correia.

A praia que obriga ao cumprimento de regras como o uso de trela, ou de açaimo no caso de raças consideradas perigosas, foi dotada de dispensadores de sacos para dejetos o que, segundo o autarca, «contribui para que seja um espaço mais limpo do que quando não tinha este fim, mas algumas pessoas já lá levavam cães, porque a praia não era concessionada».

A visibilidade conseguida através da comunicação social «atraiu turistas que gostam de levar consigo os animais» e contribuiu para «o bem-estar animal, diminuindo o número de pessoas que deixam o cão nas viaturas para irem à praia», acrescentou. A par, «diminuiu as participações sobre a presença de animais nas zonas concessionadas ou em praias de uso balnear não concessionado», disse à Lusa Marco Augusto, comandante da Capitania do Porto de Peniche.

Nos 80 metros de frente de praia, em que a Câmara assegura a limpeza e a polícia marítima o cumprimento das regras, não houve, entre o dia da inauguração, a 06 de agosto de 2016, e o fim da época balnear, a 15 de setembro, «qualquer alteração à ordem pública ou situação que gerasse qualquer contraordenação», frisou o Capitão do Porto, para quem «faz todo o sentido prosseguir com este uso naquela praia, que tem todas as condições de segurança, acessos independentes e estacionamento».

Este ano, apesar de o aviso de abertura da época balnear permitir o acesso dos cães à Praia do Porto da Areia Norte entre 1 de julho e 15 de setembro, a praia esteve interdita entre os dias 6 e 26 de julho, devido a um derrame de combustível na Praia do Abalo.

Porém, não tendo sido avistados resíduos a interdição foi levantada e nada impede que, até ao final da época balnear, donos e cães continuem a ir a banhos naquela que a autarquia e a capitania esperam que continue, durante muitos anos, conhecida por «praia dos cães».