10 dicas para um regresso às aulas sem stress

São os filhos que voltam à escola, mas são os pais que começam a ficar ansiosos por estes dias. O segredo para lidar com tudo isto é apenas um: preparação. Não basta ter os livros e o material escolar comprado, há mais coisas que pode fazer já para evitar o desgaste das próximas semanas.

Texto de Sofia Teixeira | Fotografia Shutterstock

10. MUDE HORÁRIOS UMA SEMANA ANTES

Nas férias toda a gente se deita e levanta mais tarde, miúdos incluídos. É sensato não guardar o novo horário de despertador para a véspera do primeiro dia de aulas. Uma semana antes, comece progressivamente a antecipar a hora de ir dormir e a hora de acordar das crianças. Quando as aulas começarem eles já deverão estar adaptados ao horário e não será tão «violento».

9. ARRUME O ESPAÇO DE TRABALHO

A secretária onde o seu filho estuda e faz os trabalhos de casa está abandonada há uns meses. Provavelmente cheia de tralha do ano passado e de brinquedos espalhados. Ponha ordem no espaço uns dias antes do início das aulas: brinquedos arrumados nos sítios, livros velhos guardados ou doados, livros novos e material escolar nas gavetas. A organização é amiga dos bons começos e olhar para o local de trabalho ordenado ajuda à mentalização para os tempos que se avizinham.

8. ANALISE O ARMÁRIO DA ROUPA

Dê uma volta ao armário das crianças ainda com elas de férias. É possível que grande parte da roupa de Outono do ano passado já não lhes sirva. E não vai querer descobrir isso na primeira ou na segunda semana de aulas, quando ficar sem nenhuma camisola para lhes vestir no dia seguinte. Veja o que serve e o que não serve para, caso seja necessário ir às compras, as poder fazer com tempo e sem pressão.

7. REDUZA AS EXPETATIVAS

Planeie tudo, mas tendo já em mente que haverá dias em que não é possível cumprir os planos. Nem metade dos planos. Haverá dias com gritaria pela manhã, quando eles se esquecem da flauta na mochila para a aula de música, ou alturas em que terá de trocar o lanche saudável por um pacote de bolachas. E haverá tantas ocasiões em que a hora de jantar derrapa duas horas. E isso não é nenhuma tragédia, é a vida a acontecer. Aprenda a não se culpabilizar.

6. PLANEIE A «OPERAÇÃO MARMITA»

Na semana antes de começar a escola, volte a pensar em opções de lanches e snacks saudáveis – e de almoços, se for esse o caso – para colocar nas lancheiras deles. É possível que tenha de incluir na lista de supermercado produtos que não compra há algum tempo, como as embalagens de leite individuais. Dê uma vista de olhos nas caixas, sanduicheira e bolsa térmica para ver se está tudo em boas condições ou se precisa de ser trocado.

5. SENTE-SE A CONVERSAR COM AS CRIANÇAS

É possível que a criança esteja entusiasmada com o regresso à escola. Ou não. Talvez esteja com a mesma vontade de regressar à escola que os pais tinham de regressar ao trabalho quando acabaram as férias. Se for esse o caso converse com ela e tente entusiasmá-la e explicar-lhe a inevitabilidade do ciclo férias-trabalho para todos. O seu cérebro, recém-confrontado com a troca dos calções de banho pelo fato, também vai agradecer essa conversa em voz alta.

4. ESPERE O INESPERADO

Haverá dias em que as reuniões de trabalho se prolongam até depois da hora de ir buscar a criança à escola, haverá dias em que os filhos acordam com febre e não podem ir às aulas, haverá greves dos professores ou dos funcionários. Comece a pensar agora nos planos de backup que terá de acionar várias vezes ao longo do ano. Se tem hipótese de pagar a uma babysitter escolha-a desde já; se tem pais que possam dar uma ajuda perceba agora qual é a disponibilidade que têm nos vários dias da semana e alturas do ano, se não tem nenhuma destas coisas relembre isso ao seu chefe…

3. REORGANIZE A ROTINA PÓS-ESCOLA

Planeie as actividades extracurriculares das crianças conciliando as suas necessidades de horários, com as necessidades lúdicas e de descanso delas. O horário pós-escolar deve incluir tempo para que possam fazer actividades extracurriculares e trabalhos de casa, mas também para brincarem, relaxarem e jantarem relativamente cedo, de forma a dormirem horas suficientes.

2. «VELOCIDADE DE CRUZEIRO» NO INÍCIO

Vai ter muito tempo – o ano inteiro, na verdade – para ter de gerir compromissos sobrepostos e correrias de um lado para o outro. Nas primeiras duas semanas, enquanto toda a gente se está a adaptar ao novo horário, tente mantê-lo livre de tudo o que não seja urgente, a velocidade de cruzeiro. Idas de rotina ao médico (suas e das crianças), visitas à prima que não veem há seis meses mas mora ao lado e festas do pijama lá em casa podem ser combinadas para quando o novo horário já está integrado na rotina e é mais fácil acrescentar-lhe compromissos.

1. RENEGOCIE AS HORAS PARA A TECNOLOGIA

Na maioria das casas o tempo dedicado à tecnologia como forma de lazer (televisão, iPad, computador) é diferente nas férias e em período de aulas. Converse desde já com a criança sobre isso, definindo ou relembrando os tempos de utilização diária, agora que as férias estão a acabar. Não vai resolver todas as reclamações que se avizinham, mas quanto mais cedo os preparar para essa mudança melhor. Se tem adolescentes em casa, defina já com eles as regras de saídas durante o período de aulas.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.