OPINIÃO

Perdeu 50 quilos em três anos

Daniel Vaz, de 34 anos, chegou a pesar 135 quilos. A troca de palavras com uma desconhecida num restaurante em Paris e muita força de vontade mudaram-lhe a vida.

O prazer que sentia ao comer levava Daniel Vaz, de 34 anos, a ignorar os olhares de reprovação e repulsa que os outros lhe dirigiam por ser obeso. Mas tudo mudou enquanto almoçava num pequeno restaurante no bairro de Montmartre, em Paris. Uma mulher que tinha passado o tempo todo a olhar para ele dirigiu-se à sua mesa e proferiu as palavras que lhe mudaram a vida.

«Eu também já fui assim. Detestava-me quando tinha peso a mais. Perdi mais de 30 quilos. Corra atrás», disse-lhe a desconhecida. Nesse dia, Daniel nem comeu sobremesa. Regressou a Portugal e comprou uma balança. Soube que tinha 135 quilos e tinha de perder 50 para chegar ao seu peso ideal.

«Ter 140 ou 150 quilos era igual. Sei que o meu peso máximo foi 135 quilos porque foi a altura em que me pesei. Quando tiramos o foco da comida é que percebemos que temos de ser nós o centro da nossa própria existência. Depois parti o problema em fases para não me assustar», explica à Notícias Magazine Daniel Vaz.

Mudar de vida

Inscreveu-se num ginásio e começou a ser acompanhado por um personal trainer, entrou em vários grupos no Facebook para partilhar experiências com quem enfrentava o mesmo problema e comprou vários livros de dietas. Só o da nutricionista Ágata Roquette é que o ajudou realmente a perder peso.

«A diferença é que pela primeira era uma história real, ela tinha passado pelo mesmo. É impossível uma pessoa não se identificar. Tive mais força de vontade com esse livro do que com qualquer outro», revelou.

E foi precisamente pela força que o livro A Dieta dos 31 dias lhe transmitiu que Daniel decidiu escrever o livro O Peso da Mudança, aceitando um convite da editora que tinha recusado da primeira vez. Hoje guarda-o na cozinha e não nas prateleiras da sala, ao lado de todos os outros livros.

«Para me responsabilizar e servir de exemplo para mim próprio, para perceber que tenho de me controlar», afirma Daniel Vaz.

Hoje, faz questão de se pesar todos os dias. Quando não o faz fica ansioso. Tem uma alimentação saudável, continua a praticar exercício físico e quando lhe falta força vai até aos grupos do Facebook de que faz parte ver o que partilha quem está a lutar contra o excesso de peso.

«Para aquelas pessoas a quem falta perder muito peso é preciso que saibam que o processo por que vão passar é único. Relacionava-me mal com as pessoas, não era tão sociável. Percebi que os quilos perdidos são bons para tudo. Tive a sorte de passar por um processo destes e isto fez-me bem para me conhecer a mim próprio», conclui o autor de O Peso da Mudança.

Cátia Carmo