Os portugueses especialistas em surfar ondas grandes

A onda da Nazaré deu visibilidade às ondas grandes, mas antes de Garrett McNamara ter chegado à Nazaré e colocado a praia do Norte sob os holofotes já alguns portugueses se faziam ao mar em busca das maiores ondas. Hoje, João de Macedo, Hugo Vau e Joana Andrade são alguns dos nomes mais destacados destas ondas.

3. JOÃO MACEDO

Membro da chamada «GERAÇÃO LIGHTNING BOLT» (leia também «A boa onda do surf nacional»), João Macedo sempre teve um apetite muito forte por ondas grandes, onde se sente bastante à vontade, ou não fosse local da Praia Grande, em Sintra, inspirando e treinando surfistas como António Silva ou Nicolau von Rupp. Viveu na Austrália e nos EUA (onde nasceu), ajudando a fundar a ONG ambiental Save The Waves, responsável pela criação das Reservas Mundiais de Surf (das quais a Ericeira é a segunda a nível mundial e a primeira na Europa) e pela denúncia de tentativas em estragar ondas de classe mundial, como a do Jardim do Mar, na Madeira. Viveu em São Francisco para poder estar mais perto e treinar em Mavericks, uma das mais poderosas e perigosas ondas grandes do mundo, onde se destacou pela sua bravura. Pioneiro no Circuito Mundial de Ondas Grandes, foi quarto no ranking mundial, em 2011. No ano seguinte lesionou-se, caiu no ranking e ficou fora deste circuito, voltando a qualificar-se com um brilhante terceiro lugar no Nazaré Challenge do ano passado (o primeiro evento de sempre em Portugal do Big Wave World Tour da WSL, na praia do Norte), na mesma semana em que Frederico Morais se qualificou para o WCT (ver caixa Kikas). Nessa final, Macedo contou igualmente com a presença do seu discípulo António Silva, que rivaliza com João na categoria de «atiranço». Com apenas uma etapa disputada, Massas qualificou-se para o Big Wave World Tourdeste ano, tendo participado na primeira etapa, disputada em Puerto Escondido, México, na semana passada, onde outro português por ele inspirado, o algarvio Alex Botelho, fez igualmente a final, terminando num honroso quinto lugar. Juntamente com o amigo Pedro Monteiro (outro surfista da dita geração e igualmente com apetite por ondas maiores), fundou a Surf Academia (ver texto principal), uma escola fundamental na evolução do surf português. Macedo é igualmente autor do Livro 7 – Como Ser Surfista, no qual apresenta e explica o seu método de treino inovador e que é um dos poucos livros portugueses sobre este assunto.

2. HUGO VAU

Surfista, pescador, mergulhador, Skypper, piloto de resgate em jet ski… Hugo Vau incorpora o verdadeiro espírito do chamado «waterman», na senda de nomes como os de Miguel Ruivo, Miguel Fortes, João Pedro Caldas, Tiago Oliveira, Tó Gama, José Couto, João Patrocínio ou José Seabra. Vive entre as ilhas dos Açores e o continente, além das viagens em busca de ondas, por outras paragens. Hugo Vau faz parte da equipa de segurança original de Garrett McNamara na Nazaré, aprendendo muito através da experiência do havaiano e dos seus convidados de luxo. Tem evoluído muito enquanto surfista de ondas gigantes e é o único português com duas nomeações finalistas no XXL Big Wave Awards da World Surf League (os Óscares das ondas grandes), em 2015 e 2017, com ondas surfadas na praia do Norte. Fez uma das melhores performances no Nazaré Challenge de 2016, a par do virtual vencedor da prova, o seu amigo australiano Jamie Mitchell, tendo alcançado as meias-finais da prova, embora afirme que «não tem muito jeito para competir»… Já se encontra a treinar para o próximo inverno e espera voltar a superar os seus limites.

1. JOANA ANDRADE

Ex-campeã nacional júnior e sempre uma candidata ao título nacional de surf feminino, Joana Andrade chegou a vencer etapas desse circuito. Normalmente quando as ondas subiam. Quando se apercebeu disso, decidiu parar de competir em ondas regulares e dedicar-se às ondas maiores. É das poucas mulheres na Europa que tem uma prancha maior do que nove pés (as longboarders não contam) e que a utiliza habitualmente, sobretudo na Nazaré, onde já apanhou ondas enormes, sobretudo rebocada. Dona de uma escola de surf na Ericeira, está atualmente a treinar para o inverno e para as ondas da praia do Norte, onde espera ultrapassar os seus limites. Tem o sonho de criar uma equipa de tow-in (surf rebocado) cem por cento feminina. Quando não está a surfar, a treinar ou a dar aulas, gosta de dançar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.