OPINIÃO

O homem que fez de Raminhos e Nuno Markl fenómenos da Internet

Miguel Raposo faz a gestão das redes sociais de dezenas de celebridades em Portugal. No livro 'Torna-te um Guru das Redes Sociais' que agora lança revela alguns dos segredos para o sucesso.

Texto de Cátia Carmo/Delas.pt|Fotografia de Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens e Shutterstock

Quando Miguel Raposo começou a trabalhar a imagem que António Raminhos tinha nas redes sociais, o humorista estava a começar as rubricas sobre as filhas, a que deu o nome de As Marias. Hoje «tem mais 10 vezes aquilo que tinha em termos de números»: 589 mil fãs no Facebook, 370 mil seguidores no Instagram e 179 mil subscritores no YouTube, onde tem vídeos que chegam a ultrapassar as 806 mil visualizações.

Se no início o gestor de influenciadores tinha dúvidas sobre as piadas que Raminhos fazia com as filhas e receava más interpretações, o sucesso que foram alcançando dissipou-as.

Se no início o gestor de influenciadores tinha dúvidas sobre as piadas que Raminhos fazia com as filhas e receava que acabasse por ser mal interpretado pelos internautas, o sucesso que foram alcançando dissipou-as. E o segredo para todo este êxito na Internet é bem simples, tal como revela no livro Torna-te um Guru das Redes Sociais, que acaba de lançar.

«O sucesso passa muito pelo facto de serem genuínos. Funciona muito bem, o Raminhos é um caso flagrante disso. Quando começámos a falar, achava que aquilo podia ser mal interpretado. Depois fui conhecendo e percebendo o real significado dos vídeos. Ele é assim, é uma forma de dar amor e transmitir o que sente pelas filhas», explica à Notícias Magazine Miguel Raposo.

Como lidar com as polémicas?

Além de António Raminhos, o gestor de redes sociais já trabalhou com o também humorista Nuno Markl, a blogger Ana Garcia Martins («A Pipoca Mais Doce») e o apresentador de televisão Luís Filipe Borges. Atualmente ajuda as apresentadoras Vanessa Oliveira e Olívia Ortiz e o youtuber Wuant.

«Tento ajudá-los e monto uma estratégia para conseguirem ganhar mais fãs, alcance e engagement para que as pessoas consigam conversar e percebam que estão perante uma pessoa real e genuína. Do resto as pessoas já estão um bocadinho fartas porque veem nas revistas e na televisão», revela o autor de Torna-te um Guru das Redes Sociais.

Trabalhar com figuras públicas implica também lidar com várias polémicas. Recentemente António Raminhos, por exemplo, publicou uma imagem do futebolista Ricardo Quaresma com a seguinte legenda: «O Quaresma colocou diamantes nos dentes e o filho está claramente a pensar ‘fod#@euro porque é que não sou filho do Ronaldo?», e o jogador respondeu-lhe. «Amigo, tens a legenda da foto enganada, mas eu vou ensinar-te: ‘O Quaresma colocou diamantes nos dentes e o filho está claramente a pensar ‘fod#@€ ainda bem que não sou filho do Raminhos e o meu pai não faz vídeos daqueles comigo como ele faz com as filhas’. Um abraço», escreveu Quaresma na fotografia do humorista. Tudo ficou bem entre os dois intervenientes e acabou apenas por ser um momento de boa disposição.

Foi a trabalhar com Nuno Markl que o gestor de redes sociais enfrentou algumas das situações mais complicadas. «Realmente ele é atacado por tudo e por nada. Muitas vezes as coisas partem para outro tipo de ameaças e já tive de recorrer à Polícia Judiciária porque começa-se a entrar no campo das ameaças de morte».

Mas nem sempre é assim. Como deve reagir-se nestas situações? «Depende do caso. Muitas vezes prefiro não fazer grande coisa, não mexer muito porque os próprios fãs acabam por defender. Se tiver proporções maiores deve apagar-se o post ou tentar banir algum seguidor, mas depende muito de caso para caso. Há figuras públicas a quem digo “não reajas, fica sossegado”, mas não aguentam, reagem e aquilo começa a descambar», diz Miguel Raposo.

Foi a trabalhar com Nuno Markl que o gestor de redes sociais enfrentou algumas das situações mais complicadas. «Realmente ele é atacado por tudo e por nada. Muitas vezes as coisas partem para outro tipo de ameaças e já tive casos de figuras públicas em que tivemos de recorrer à Polícia Judiciária porque começa-se a entrar no campo das ameaças de morte aos filhos, as coisas às vezes tomam proporções um bocadinho graves», recorda o gestor de redes sociais.

Quando se é figura pública, o cuidado com aquilo que se divulga nas redes sociais deve ser redobrado. Na opinião de Miguel Raposo, as celebridades portuguesas ainda têm de melhorar neste aspeto e deixar de cometer tantos erros.

«Não têm muito cuidado com as fotos que colocam, com as horas em que publicam as coisas e nem sempre são muito regulares, às vezes estão dois dias sem colocar nada. Tem de haver alguma regularidade, as pessoas habituam-se a ver e as próprias redes sociais acabam por prejudicar, em termos de algoritmo, quem não publica tanto», acrescenta Miguel Raposo.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Fotografia @